sábado, 12 de março de 2016

Em Belém Ciro Gomes(PDT) chama Golpistas para briga: Não Passarão!


No Encontro estadual do PDT, realizado hoje (12/03) na UFPa, o ex-Ministro Ciro Gomes, foi lançado oficialmente como pré candidato a Presidente da República. Ele falou que estará a frente das mobilizações contra o Golpe, afirmou, "Não Passarão". Fez críticas a política econômica do Governo Dilma, falou que o País tem que voltar a gerar emprego. Criticou os juros altos em plena recessão. Estiveram presente no encontro: Carlos Luppi presidente nacional do PDT, o Vereador Netinho de Paula(cantor), Geovani Queiroz presidente dos Correios, Joclau Barra, diretor dos correios e o Deputado Miro Sanova presidente estadual do PDT. Na mesa de abertura, o senador Paulo Rocha o ex deputado Alfredo Costa (PT), Jorge Panzera (PCdoB) e o presidente da ALEPA Márcio Miranda. Fotos Rui Baiano Santana








2 comentários:

Anônimo disse...

Ciro Gomes é um homem inteligente, sabe que esse governo Dilma é medíocre, e que não se trata de golpe o que está acontecendo. Mas diante do cargo que ocupa e do salário que tem, na transnordestina, seria muito estranho apoiar qualquer movimento nesse sentido.

O deputado Miro Sanova tem uma grande capacidade, muita sabedoria e disposicao. Se entender que a cultura da população está mudando e tiver disposto a jogar a nova política, terá um grande futuro político.

Sobre o que aconteceu com o Brasil...

Somos um País de Commodities, em 2003 até 2014, às Commododities estavam supervalorizadas, e o governo do PT, não aproveitou esse momento histórico para criar a infraestrutura que o país precisava e precisa, e nem atender outras demandas do país. Esse governo aumentou de maneira irresponsável o gasto público e tornou a corrupção sistêmica e institucional. Final de 2014 os preços caíram para o patamar de 2002.








Naldo Ferreira disse...

O ciro gomes e um ótimo candidato, pena que por conta de partido, o mesmo tenha que ficar ao lado de pessoas que já estiveram envolvidas em coisas erradas no governo como é o caso do deputado Paulo rocha. Pena.