quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

América Latina: a esquerda é vítima do seu próprio êxito? – por Rafael Correa

 Tradução JADSON OLIVEIRA

NOSSAS DEMOCRACIAS DEVEM se chamar democracias midiatizadas. Os meios de comunicação são um componente mais importante no processo político do que os partidos e sistemas eleitorais; converteram-se nos principais partidos de oposição aos governos progressistas; e são os verdadeiros representantes do poder político empresarial e conservador.
Por Rafael Correa Delgado (ex-presidente do Equador) – do portal Nodal – Notícias da América Latina e Caribe, de 16/02/2018 – Tradução: Jadson Oliveira (parte do artigo ‘O desafio estratégico da esquerda latino-americana. Atacada pela direita e por seus próprios erros?’)
Provavelmente a esquerda é também vítima do seu próprio êxito. Segundo a CEPAL, quase 94 milhões de pessoas saíram da pobreza e se incorporaram à classe média regional durante a última década, em sua imensa maioria fruto das políticas dos governos de esquerda.
No Brasil, 37,5 milhões de pessoas deixaram de ser pobres entre 2003 e 2013, e agora são de classe média, mas esses milhões não foram uma força mobilizada quando um Congresso acusado de corrupção destituiu Dilma Rousseff. Temos pessoas que superaram a pobreza e que agora – pelo que se chama muitas vezes prosperidade objetiva e pobreza subjetiva – apesar de terem melhorado muitíssimo seu nível de renda, pedem muito mais, e se sentem pobres não em referência ao que têm, muito menos ao que tinham, mas sim ao que aspiram.
Essa nova classe média, que emergiu como fruto do êxito das políticas econômicas e sociais da própria esquerda, necessita de um novo discurso e mensagem. Suas demandas não são apenas diferentes, mas inclusive antagônicas às dos pobres, e sucumbem mais facilmente aos cantos da sereia da direita e sua imprensa, que acenam a todos com um estilo de vida à la Nova Iorque.
A esquerda sempre lutou contra a corrente, pelo menos no mundo ocidental. A pergunta é: estará lutando contra a natureza humana?
O problema é muito mais complexo se acrescentamos a isto a cultura hegemônica construída pelos meios de comunicação, no sentido gramsciano, isto é, conseguir que os desejos das grandes maiorias sejam funcionais aos interesses das elites. Um exemplo dramático foi a rejeição da Lei da Herança que se tentou aplicar no Equador, consistente num imposto muito mais progressivo para as heranças de maior valor. Apesar de apenas três equatorianos em mil receberem uma herança, e que o novo imposto só afetava os grandes valores – quer dizer, somente 0,004% das heranças, ou seja, aproximadamente 172 pessoas por ano dentro duma população de 16 milhões -, muitos pobres e classe média saíram a protestar contra um imposto que jamais terão que pagar, manipulados em grande medida pelos meios de comunicação.
Nossas democracias devem se chamar democracias midiatizadas. Os meios de comunicação são um componente mais importante no processo político do que os partidos e sistemas eleitorais; converteram-se nos principais partidos de oposição aos governos progressistas; e são os verdadeiros representantes do poder político empresarial e conservador.
Não importa o que convenha às grandes maiorias, o que se tenha proposto na campanha eleitoral, e o que o povo – o mandante em toda democracia -, tenha ordenado nas urnas. O importante é o que aprovem ou desaprovem em suas manchetes os meios de comunicação. Substituíram o Estado de Direito pelo Estado de opinião.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Câmara de Ananindeua inaugura painel eletrônico de votação

 O Dr. Daniel Santos (PSDB) no discurso de abertura da sessão inicial do ano legislativo de 2018 que aconteceu na terça (20), fez um apanhado dos avanços realizados pelo Legislativo em 2017 e início de 2018:                 

“Quando assumimos a gestão no ano passado, estabelecemos a meta de fazer uma Câmara mais transparente e próxima da população. Ao longo do ano, instituímos a transmissão ao vivo das sessões, tornamos o segundo secretário também autorizador de despesas, recebemos o Selo Verde de Gestor Transparente do Tribunal de Contas dos Municípios, chamamos os concursados remanescentes do concurso de 2012 e estamos repondo as perdas salariais dos últimos seis anos aos servidores efetivos da casa”, elencou. “E, hoje, inauguramos algo pra deixar nossa marca aqui, o sistema integrado de votação eletrônica”, complementou.

Informatização – Antes realizado de forma manual, com papéis impressos, a partir da primeira sessão ordinária desse ano todo o processo legislativo ocorrerá de maneira informatizada. Desde os gabinetes dos vereadores, os projetos e requerimentos serão transmitidos em rede para a Secretaria e Assessoria Legislativa e de lá para o plenário, onde cada pauta será votada eletronicamente, via terminais de cada vereador. Os resultados das votações serão exibidos em painéis, assim como a lista de vereadores presentes às sessões. 

“Além disso dar mais agilidade e transparência aos nossos trabalhos, significa economia e preocupação com o meio ambiente, pois vamos deixar de consumir de cinco a seis resmas de papel por sessão”, explicou Dr. Daniel, que é autor de um projeto de lei, já sancionado pelo Executivo, que estabelece a substituição de sacolas plásticas por biodegradáveis nos estabelecimentos comerciais do município. 


Infraestrutura – Além da inovação do sistema de votação eletrônica, a Câmara teve áreas dos seus dois prédios (Palácio Legislativo e Anexo) reformados, com revitalização, sinalização, climatização das recepções e ampliação da sala de espera para emissão de RG, que agora conta com mais espaço e uma televisão. Os investimentos continuarão nos próximos meses, com a renovação das redes lógica e telefônica. 

A primeira sessão ordinária será no dia 28/02, mantendo o horário regimental das quartas-feiras a partir das 16h30 e a transmissão ao vivo via Facebook. Durante essa semana, as assessorias dos vereadores passarão por treinamento com o sistema integrado de votação eletrônica.  Na  terça-feira (20), a Câmara de Ananindeua iniciou o ano legislativo, com a tradicional sessão de abertura dos trabalhos parlamentares. Estiveram presentes, além dos vereadores, o prefeito Manoel Pioneiro (PSDB), o vice-prefeito Carlito Begot (PR), vários secretários municipais, o promotor de Justiça Sérgio Chermont representando o Ministério Público, outras autoridades, lideranças comunitárias e a população. 
 Prefeito apresentou a mensagem do Poder Executivo ao Legislativo 
Seguindo o regimento da casa, o prefeito apresentou a mensagem do Poder Executivo ao Legislativo, pontuando um balanço das ações de 2017, com as principais obras e investimentos realizados. Pioneiro agradeceu o empenho e apoio dos parlamentares durante o ano que passou, lembrando as conquistas alcançadas em parceria. “Apesar do momento de crise, com todas as dificuldades na arrecadação, cumprimos nosso dever, de tocar as obras, levar adiante os projetos, pagar a folha do município, respeitando o dinheiro público e transformando-o em benefícios ao povo de Ananindeua”, pontuou

Com informações da ASCOM CMA - Fotos Mário Jr. 

MEMÓRIAS DA DITADURA MILITAR Dimas Antonio Casemiro, presente!


Jornal GGN - O Grupo de Trabalho Perus conseguiu, pela  primeira vez desde que foi formado, concluir a identificação positiva de uma das vítimas encontradas na vala clandestina no Cemitério de Perus, em São Paulo. Foi confirmada, através das análises, a identidade de Dimas Antonio Casemiro, morto em abril de 1971 por agentes de repressão política da ditadura militar.
Dimas Casemiro foi do movimento estudantil de Votuporanga, sua cidade natal, e se mudou para São Paulo. Na capital paulista passou a militar na Ala Vermelha. Depois participou da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares) e do Movimento Revolucionário Tiradentes (MRT), do qual foi dirigente.
De acordo com os relatórios da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, Dimas Antonio Casemiro foi morto entre 17 e 19 de abril de 1971, alvejado por arma de fogo em tiroteiro simulado - mesmo método utilizado em vários outros casos.
A CEMDP concluiu que Dimas foi torturado entre os dias 17, data em que foi supostamente alvejado, e o dia 19, data do exame da necropsia, desmentindo a versão oficial de 'morte em tiroteio'. Desde então, seu corpo estava desaparecido.
A confirmação definitiva da identidade foi concluída no dia 16 de fevereiro, depois que o GTP recebeu os resultados de exames de DNA extraídos da primeira remessa de amostras biológicas enviadas para análise genética à International Commission on Missing Person (ICMP), entidade internacional cuja sede fica em Haia, na Holanda, e que é parceira do Grupo. Os resultados demonstraram vínculo genético entros os restos mortais pertencentes a um dos casos enviados e as amostras sanguíneas dos familiares de Dimas.
O Diretor de Ciência e Tecnologia da ICMP, Dr. Thomas Parsons, trouxe pessoalmente o laudo genético para o Brasil. Ele se reuniu com o coordenador científico do GTP, Dr. Samuel Ferreira, e com a equipe de peritos no Brasil para análise do caso. A identificação pôde então ser confirmada pelos estudos antropolóticos, odontológicos e informações ante-mortem de Dimas Antonio Casemiro, relativas à altura, idade, dentição e ao trauma por ação de projétil de arma de fogo.
'Com esse resultado, o GTP e as entidades que o compõem apresentam resposta concreta à sociedade e especialmente aos familiares de mortos e desaparecidos políticos, os quais, no caso da família de Dimas, poderão finalmente render-lhe honras funerárias e encerrar dignamente o seu processo de luto', disse a procuradora Eugênia Gonzaga, presidente da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP). Por solicitação dos familiares, suas identidades e contatos serão preservados.
O GTP foi criado em 2014 para analisar os restos mortais encontrados em 1990 no local que ficou conhecido como vala clandestina de Perus, no Cemitério Dom Bosco, zona Norte de São Paulo. Ali teriam sido enterrados desaparecidos políticos, vítimas da repressão durante a ditadura militar.

O Grupo de Trabalho é composto pelo Ministério dos Direitos Humanos, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pela Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP), criada pela Lei 9.140/95

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Urgente! Úrsula Vidal vai ser candidata ao senado

Segundo fontes, Úrsula Vidal que deixou  a REDE de Marina, está avaliando    ser candidata a senadora. As pesquisas indicam que ele deverá ter o segundo voto de todos os pré candidatos a senadores, além de já ter ultrapassado a marca de dois dígitos em pesquisa para o governo. Está sendo cortejada  por todos partidos, como tem um perfil de esquerda podemos descartar participação na chapa de Hélder (PMDB) ou Márcio (DEM/PSDB) . Os partidos de esquerda estão em alvoroço pela filiação  de Úrsula. Vamos aguardar até 7 de abril

Úrsula Vidal sai da REDE

Publicado no Facebook da jornalista Úrsula Vidal:                                                                               Já se passaram 5 anos desde que entendi que minha contribuição social como jornalista e documentarista poderia ganhar escala se eu me dispusesse a ocupar um cargo político. Era como lutar com armas mais eficazes; travar o combate no campo das ideias, reivindicar o justo dando sentido à minha cruzada pessoal, que tem sido ao mesmo tempo coletiva. Em 2014, vivi o desafio de minha primeira candidatura, defendendo os princípios e propósitos da REDE Sustentabilidade, reconhecendo na grandeza moral, intelectual e política de Marina Silva um lume que poderia me guiar. E assim foi. A caminhada foi sofrida. E Bela. E marcada por profundos e valorosos aprendizados. Olhando pra trás, percebo que esta jornada exige sobretudo entrega. Quando mergulhamos com firmeza em um projeto politico, entregamos muito; entregamos quase tudo.
Sempre achei que havia um pouco de santidade e de loucura no fundo dos olhos de mulheres e homens que se dedicam a mudar o mundo. E neste tipo de missão nunca falhamos, porque o mais importante não é a chegada: se não mudamos o mundo, a caminhada nos muda.
Ao longo da estrada, enfrentei a dureza e as alegrias de ajudar a consolidar um partido novo, forjado com o ferro maleável, resistente e dúctil das ideias novas; uma mecânica interna baseada na democracia e na horizontalidade. E por cada palmo percorrido nesta estrada, eu manifesto minha mais sincera e devotada gratidão.
Contudo, na esteira deste tempo de construção da REDE, chegou o tempo da escuridão no Brasil. Ao festejar um bravo e eficiente combate à corrupção empresarial e política no país, fui notando que as garras do monstro neoliberal ficavam cada vez mais afiadas. Vejo o povo brasileiro ser engolido aos poucos pela boca sedenta deste assombro que mastiga e sangra direitos sociais. Minha visão política foi ganhando outros contornos; uma elaboração mais critica, uma outra construção de mundo.
Por respeito às posições institucionais e políticas da REDE Sustentabilidade, mantendo a coerência com o modelo de sociedade justa no qual acredito, comunico minha DESFILIAÇÃO do partido. Desejo às companheiras e companheiros da REDE toda a energia e bravura para fazer os enfrentamentos necessários, diante da jornada que o Brasil viverá neste ano eleitoral. Sigo com minha luta e minha fé. E com a certeza de que este 20 de fevereiro, Dia Mundial da Justiça Social, marcará minha trajetória política com a coragem das mulheres e homens que me inspiram e me alimentam de força e esperança. Porque é preciso crer em um mundo de justiça e de paz; e ele chegará mais rápido se a política for um espaço de construção ética, coletiva e mais humana.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Câmara de Ananindeua inicia o ano legislativo nesta terça (20)


Zenaldo não é candidato ao governo

O prefeito Zenaldo Coutinho,  está fora da disputa para o governo do estado, segundo o blog do Bacana. Circolou nas redes sociais um fake news, que ele seria o candidato do governo. Márcio Miranda  continua sendo o candidato de Jatene