terça-feira, 21 de novembro de 2017

Procurador de confiança de Moro insiste em ouvir grampos ilegais contra Lula

Jornal GGN - A defesa de Lula está indignada com um pedido feito no último dia 13 pelo procurador da Lava Jato de Curitiba, Januário Paludo, para manter a validade de conversas gravadas no escritório de advocacia onde atua Cristiano Zanin, um dos principais defensores do ex-presidente nos casos que tramitam sob Sergio Moro.
 
Paludo, que já ajudou Moro a defender outras polêmicas na operação, enviou ao Tribunal Regional Federal da 4a. Região um recurso pedindo para ter acesso a conversas interceptadas do escritório Teixeira, Martins & Advogados.
 
"Merece repúdio que um membro do Ministério Público Federal, que tem o dever constitucional de defender a ordem jurídica (art. 127) esteja defendendo a superação do sigilo legal inerente às conversas interceptadas, revelando profundo desprezo pela advocacia e pelas prerrogativas dos cerca de 25 advogados que integram o escritório Teixeira, Martins & Advogado", escreveu o advogado Cristiano Zanin em nota, assinada por mais de 230 advogados. 
 
No informe, Zanin lembra que, por equívoco de Moro e dos procuradores, o principal telefone do Teixeira, Martins & Advogados foi grampeado em 2016. Mas o Estatuto do Advogado assegura a “inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, bem como de seus instrumentos de trabalho, de sua correspondência escrita, eletrônica, telefônica e telemática, desde que relativas ao exercício da advocacia”.
 
Caberá ao TRF-4 tomar uma decisão sobre a polêmica.
 
O procurador Januário Paludo já apareceu em outros imbróglios da Lava Jato. Na primeira semana do mês, ele defendeu que o bloqueio de bens contra o ex-presidente Lula e dona Marisa sejam mantidos por Moro.
 
"Apesar de o recurso ter sido ingressado no TRF-4, Sérgio Moro abasteceu-se de auto-defesas à sua determinação. Pediu a um dos mais antigos procuradores de sua equipe da Lava Jato que escrevesse um parecer justificando a suposta necessidade dos bloqueios", publicou o GGN. Veja mais aqui.
 
O blog também mostrou que Januário foi um dos procuradores que atuou na tomada de depoimento de Delcídio do Amaral. A delação do senador cassado foi centrada em ataques políticos, desde a época do mensalão, e acabou sofrendo um pedido de anulamento do próprio Ministério Público Federal em Brasília. Januário, nos vídeos com Delcídio, não aparece interessado em pedir detalhes sobre a corrupção na gestão FHC. Leia mais.
 
Veja a nota completa de Zanin abaixo:
 
Advogados repudiam pedido de Procurador da República para ter acesso a gravações de telefone de escritório de advocacia
 
Atenta contra o Estado de Direito o recurso apresentado pelo Procurador da República Januário Paludo ao Tribunal Regional Federal da 4a. Região no último dia 13/11 pedindo para ter acesso a conversas interceptadas do escritório Teixeira, Martins & Advogados.
 
O Estatuto do Advogado (artigo 7º, inciso II) assegura a “inviolabilidade de seu escritório ou local de trabalho, bem como de seus instrumentos de trabalho, de sua correspondência escrita, eletrônica, telefônica e telemática, desde que relativas ao exercício da advocacia”.
 
O principal telefone do Teixeira, Martins & Advogados foi grampeado por autorização do Juiz Federal Sérgio Moro em 2016 porque Procuradores da Força Tarefa da Lava Jato, incluindo o Dr. Januário Paludo, afirmaram que o terminal pertenceria a uma empresa alvo da investigação. No entanto, a afirmação não era correta.
 
Em ofício encaminhado ao Ministro Teori Zavacki em 2016 o juiz Sérgio Moro reconheceu que as conversas gravadas foram originadas do Teixeira, Martins & Advogados e, portanto, são protegidas pelo sigilo legal. Afirmou, ainda, material deveria ser inutilizado, embora a providência não tenha sido adotada até a presente data, como seria de rigor de acordo com a lei.
 
Merece repúdio que um membro do Ministério Público Federal, que tem o dever constitucional de defender a ordem jurídica (art. 127) esteja defendendo a superação do sigilo legal inerente às conversas interceptadas, revelando profundo desprezo pela advocacia e pelas prerrogativas dos cerca de 25 advogados que integram o escritório Teixeira, Martins & Advogado.
 
É fundamental que a Ordem dos Advogados do Brasil e outras entidades que têm por objetivo a defesa das prerrogativas profissionais tomem providências efetivas no caso para assegurar a liberdade de atuação dos membros do Teixeira, Martins & Advogados e também para impedir que novas violações sejam cometidas por membros do Sistema de Justiça contra advogados.
20/11/2017 17:49:29: Cristiano Zanin: 1. Marco Aurélio de Carvalho
2. Weida Zancaner
3. Celso Antônio Bandeira de Mello
4. José Roberto Batochio
5. Antônio Carlos de Almeida CAstro
6. Pedro Estevam Serrano
7. Alberto Zacharias Toron
8. Cezar Roberto Bitencourt
9. Antonio Claudio Mariz de Oliveira
10. Geraldo Prado.
11. Marcelo Nobre
12. Lenio Luiz Streck
13. Tarso Genro
14. Ricardo Lodi Ribeiro
15. Fabiano Silva dos Santos
16. César Rodrigues Pimentel
17. Gabriela S S Araujo
18. Roberto Podval
19. Gisele Cittadino
20. Roberto Tardelli
21. Carol Proner
22. Jose Eduardo Martins Cardozo
23. Leonardo Isaac Yarochewsky
24. Luís Carlos Moro
25. Sergio Graziano
26. Walfrido Jorge Ward Jr.
 
27. Renato Afonso Gonçalves
28. Flávio Crocce Caetano
29. Fernando Hideo I. Lacerda
30. Pedro Gomes Miranda e Moreira
31.  Anderson Bezerra Lopes
32. Vinicius Bairão Abrão Miguel
33. Gabriel de Carvalho Sampaio
34. Ana Amélia Mascarenhas Camargos
35. Sigmaringa Seixas
36. Marcia Pelegrini
37. Flávio Kendi Hiasa
38. Rafael Valim
39. Bruna Versetti Negrão
40. Cesar Augusto Vilela Rezende
41. Arnobio Lopes Rocha
42. Fábio Castello Branco Mariz de Oliveira
43. Paulo Teixeira
44. Maurício Zockun
45. Vicente Pereira de Souza
46. Eugenio Aragão
47. Reinaldo Santos de Almeida
48. José Francisco Siqueira Neto
49. Angelita da Rosa Belleza
50. Alexandre Pacheco Martins
51. Bruno Salles Ribeiro
52. Cesar Caputo Guimarães
53. Glauco Pereira dos Santos
54. Laio Correia Morais
55. Carmen Da Costa Barros
56. Saimon Francisco da Silva
57. Rose Carla da SilvaCorrea
58. Priscila Escosteguy Kuplich
59. Matheus Galarreta Zubiaurre Lemos
60. Raquel Azevedo
61. Angélica Vieira Nery
62. João Paulo Orsini Martinelli
63. Miguel Pereira Neto
64. Adriana Ancona de Faria
65. Maria Amália Guedes Grijó das Neves Cândido
66. Otavio Pinto e Silva
67. Saulo Vinícius de Alcântara
68. Andrio Portuguez Fonseca
69. Diego Correa Chaves
70. Leandro Delle Mea Lima
71. Sabrina Teixeira de Menezes
72. Jefferson Oliveira Soares
73. Vanessa Pires do Rosário
74. Claudia Zucolotto
75. Fernanda Klein
76. Carina da Cunha Sedrez
77. Guilherme Moacir Favetti
78. Rafael Thomaz Favetti
79. Marthius Sávio Cavalcanti Lobato
80. Fernando Augusto Fernandes.
81. Eduardo Piza Gomes de Mello
82. José Álvaro  Saraiva
83. Jefferson Martins de Oliveira
84. William Marques Godinho
85. Marcelo Mizael da Silva
86. José Cloves da Silva
87. Vinicius Cascone
88. Thais Cremasco
89. Paulo Cesar Dantas Castro
90. Driele Karine Almeida da Silva
91. João Bosco Vieira da Silva Junior
92. Altair Teixeira de Novaes
93. João Vicente Augusto Neves
94. Jemima de Moura Cruz Gomes
95. Cleiton Leite Coutinho
96. Sidinei Miguel Ferrazoni
97. Antonio Donizeti da Costa
98. Maria de Lourdes Lopes
99. Valéria Unti Maiorino
100.Luis Henrique Pichini Santos
101. Pedro Henrique Viana Martinez
102.Paula Nunes Mamede Rosa
103. Alfredo Ermírio de Araujo Andrade
104. Sofia Larriera Santurio
105. Kaique Rodrigues de Almeida
106. Amanda Zecchin das Chagas
107. Luis Felipe Villaça Lopes da Cruz
108. Gabriel Luis Pimenta Duarte da Silva
109.Euselia Ferreira Araujo
110. Rosane de Almeida Tierno
111. Rogério Cruz
112. Rodrigo Gabrinha
113. Ari Crispim dos Anjos Júnior
114. Rafael Pereira Ferreira
115. Camila Braz de Queiroz Silva
116. Guilherme Queiroz Gonçalves
117. Gustavo Pfaltzgraff Ribeiro
119. Renata Mollo dos Santos
120. Aldimar Assis
121. Fátima rega Cassaro da Silva
122. Walfrido Jorge Ward Jr.
123. Gustavo Marinho
124. Aline Cristina Braghini
125. Helio Freitas de C da Silveira
126. Caio Favaretto
127. Marcio Tenenbaum
128. Luiz José Bueno de Aguiar
129. Fernando Cordeiro da Silva
130. Peri Ramos
131. Jean-Paul Terra Prates
132. Adriana Cecilio Marco dos Santos
133. Vanessa Carajelescov Braga
134. Fabio Roberto Gaspar
135. Julia Pinto dos Santos
136. Rita de Cassia de Souza Castagna
137. Paulo Fernando Lourenço
138. Edvaldo Cavedon
141. Fausto Latuf Silveira,
142. Sérgio Alvarenga
143. Marcelo Turbay
144. Luciano Rollo Duarte
145. Rosemary da Silva Pereira Arsenovicz
146. Adriana Cecilio Marco dos Santos
147. Vanessa Carajelescov Braga.
148. Thayna Jesuina França Yaredy
149. Ieda Maria Ferreira Pires
150. Fábio Alexandre Costa
151. Vitor Marques
152. Antônio Pedro Lovato
153. Cesar Caputo Guimarães
154. Evandro Andaku
155. Suzana Angélica Paim Figuerêdo
156. Marcus Augustus Moia Gama
157. Marco Antônio Carlos
158. Waldiney Ferreira Guimarães
159. Márcia Freitas
160. Maricy Valletta
161. Ana Carla Albiero Sousa
162.  Luciano Barbosa
163. Fernanda Gomes de Sá Paulo Poli
164. Pietro Alarcón
165. Arialdo Andrade Oliveira
166. Sara Mercês
167. Elder dos Santos Versosa
168. Emmanuel Gomes
169. Helio Alves das Chagas
170. João Luís Torreão Ferreira
171. Túlio Tavares
172. Marcus Vinícius Thomaz Seixas
173. Marcelo Pedro Monteiro
174. Stella Bruna Santo
175. Noirma Murad
176. Ernesto de Melo Farias
177. Maíra Calidone Recchia Bayod
178. Iehudá Henrique Peres.
179. Magnus Henrique de Medeiros Farkatt
180. Rogério Santa Rosa
181. Alvaro Edgar Pinho Simão
182. Alencar Santana Braga
183. Jefferson Correia de Lima
184. Carla Maria Nicolini
185. Fernanda Maria Vieira
186. José Matos
187. Cláudia Sucena Maciel
188. Marina de Mello Gama
189. Eder Bomfim Rodrigues
190. Vanderley Caixe Filho
191. Tarso Cabral Violin
192. Magda Barros Biavaschi
193. Rômulo de Andrade Violinos
194. Francisco Celso Calmon Ferreira da Silva
195. Maria Auxiliadora Andrade da Silva
196. Rosane M Reis Lavigne
197. Marília Kairuz Baracat
198. Thiago M. Minagé
199. Alexandre Hermes Dias de Andrade Santos
200.Martonio Mont’Alverne Barreto Lima
201. Sérgio Luiz Pinheiro Sant'Anna
202. João Ricardo Wanderley Dornelles
203. Paulo Petri
204. Lúcio dos Santos Ferreira.
205. Felipe Bastos de Paiva Ribeiro
206. Evandro Colasso Ferreira
207. Diego Vedovatto
208. Maria das Graças Perera de Mello
209. José Carlos Moreira da Silva Filho
210. Elton Dias Xavier
211. Maria Goretti Nagime
212. Antonio Martins
213. Lucas da Silveira  Sada
214. Jair Ineia Acosta
215.- João Vicente Araujo
216. Santiago Gómez
217. Fernando Martins
218. Márcia Lia
219. Flávia Piovesan
220. Ailton Betoni
221. José Ricardo Biazzo Simon
222. Claudia Loturco
223. Simone da Silva Sanchez Talli
224. Jorge Alves de Almeida
225. Márcia Costa Misi
226. Roberto A. R. de Aguiar
227. Wanja Meyre Soares de Carvalho
229. Cristiano Fragoso
230. Yasmin Casconey
231. Luiz Eduardo Greenhalgh
232. Ricardo Corazza Cury
233. Franssilene dos Santos Santiago
234. Paulo A. Baccarin
235. Aroldo Joaquim Camillo Filho
236. Ediana Balleroni
237.Eunice Fagunded Storti

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Hoje mostra Cultural no Quilombola do Abacatal em Ananindeua


Arte mulher: De uma prisão em Ananindeua para Europa



Via Agência Pará
Uma detenta do Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, foi selecionada para ter uma obra de arte exposta em museus de vários países da Europa. A interna Cristiane Silva da Silva, de 27 anos, participou da 4ª Competição Artística Internacional, promovida pela ONG alemã Art and Prision e.V, que avaliou obras de artes de mulheres, homens e adolescentes de instituições correcionais de todo o mundo.
O tema da competição foi “Entre Aqui e Lá” e teve como objetivo incentivar os reeducandos a refletir sobre suas vidas por meio da arte e usar a imaginação para criar enquanto estão dentro do cárcere. A competição recebeu 371 inscrições de pessoas privadas de liberdade de 23 países, 78 deles da Polônia, 47 do Brasil, 39 da Alemanha, 28 da Suécia e 26 da Letônia.
“Aqui no CRF nós selecionamos cinco detentas que já têm um desenvolvimento melhor no curso de arte e a Cristiane foi a que mais se destacou. Ela levou uns dois meses para concluir a obra e utilizou uma técnica mista, com tinta acrílica sobre tela, além de outros materiais mais simples que temos aqui na unidade, como lápis de cor e tinta para tecido”, explica Valmir de Lima, professor de arte.
De acordo com o edital da competição, as obras incluídas farão parte de uma coleção única de "arte prisional" que será exibida de forma itinerante em toda a Europa. As coleções anteriores foram mostradas, por exemplo, nos Palácios de Justiça de Berlim e Munique, na Alemanha; no Centro Americano de Artes de Paris, na França, e no Museu Nacional de Liechtenstein, em Vaduz, na Suíça. A obra da detenta paraense ficou em 18º lugar entre as 50 que foram selecionadas para a mostra internacional.
“Eu nunca imaginei que um dia teria uma oportunidade de participar de um concurso de nível internacional e muito menos imaginava que minha obra seria selecionada e exposta em museus da Europa. Eu me inspirei na leitura para fazer a minha tela, porque é através dela que eu me sinto livre, é através dela que eu viajo para vários lugares, mesmo estando aqui dentro. Somente os 10 primeiros lugares ganhavam premiação em dinheiro, mas para mim o prêmio maior é o reconhecimento”, disse Cristiane.
Para Carmem Botelho, diretora do CRF, ter uma obra selecionada em uma mostra internacional é uma conquista significativa para o trabalho de reinserção social desenvolvido com as mulheres pelo Governo do Estado. “É a primeira vez que o CRF participa de uma competição em nível internacional e só de termos sido selecionados com uma das cinco obras que foram enviadas já é de grande relevância, pois estávamos concorrendo com países de todo o mundo com tradição nas artes plásticas. Considerando o fato de estarmos participando pela primeira vez e já termos sido selecionados entre as 50 melhores obras do mundo, essa é uma vitória imensurável para todos nós”, finalizou a diretora.
A exposição itinerante "Entre Aqui e Lá" começa no dia 21 de fevereiro de 2018, no Museu Nacional de Liechtenstein, em Vaduz, na Suíça.

Texto:
Timoteo Lopes

Viva Matos! Viva Zumbi!

Alcir Matos, foi um desses imprescindíveis. Lutou,  foi comandante de navio, e como  o "Almirante Negro" organizou uma greve dos marítimos a nível nacional. Depois voltou para sua Belém, por um período,  foi secretário de Habitação do governo Edmilson Rodrigues.  Fazia aniversário hoje 20 de Novembro dia da Consciência Negra. Quem conviveu com esse guerreiro negro, filho de Oxum com Iansã, sabe o valor da sua luta. Viva Matos! Viva Zumbi!

domingo, 19 de novembro de 2017

Palestra sobre a Reforma Trabalhista amanhã na EMATER - Pará

Nesta segunda-feira  acontecerá na EMATER, escritório central de Marituba, uma palestra para os trabalhadores do órgão sobre os impactos da Reforma Trabalhista. O Evento é organizado pela Stafpa (Sindicato da categoria) e o escritório do Dr. Jarbas Vasconcelos.

sábado, 18 de novembro de 2017

Mais de 50% dos homens acima de 50 anos tem disfunção erétil



Via Revista Fórum
Dr. Roberto Vaz (Foto) explica em entrevista exclusiva para a Fórum, com muita clareza e objetividade, tudo sobre disfunção erétil, um problema que atinge a maioria dos homens acima de 50 anos. O médico explica em detalhes, com linguagem fácil e acessível, questões como a sensibilidade da prótese peniana, seu custo, até as causas da impotência
Por Julinho Bittencourt

Tudo o que você sempre quis saber sobre disfunção erétil e prótese peniana, mas tinha vergonha (ou não) de perguntar, o Dr. Roberto Vaz explica em entrevista exclusiva para a Fórum, com muita clareza e objetividade. Desde questões como a sensibilidade da prótese peniana, seu custo, até as causas da impotência são contadas em detalhes e linguagem fácil e acessível.

O Dr Roberto Vaz Juliano é urologista, diretor da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo, membro do Instituto de Urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, professor da Disciplina de Urologia da Faculdade de Medicina do ABC – FMABC e responsável pelo grupo de Medicina Sexual e Reprodutiva.
Fórum – As estatísticas são muitas e, em alguns casos se contradizem. Qual a porcentagem, afinal, de homens com disfunção erétil hoje no Brasil?
Roberto Vaz Juliano – Nós temos um estudo brasileiro semelhante ao americano que diz o seguinte: aos 50 anos, mais da metade da população, cerca de 52% dos homens, têm alguma disfunção erétil. Destes, 10% têm uma disfunção considerada grava. Já aos 70 anos, isso aumenta paras os 70%. O envelhecimento tem muito a ver com a disfunção erétil.


Fórum – O quanto essas estatísticas são confiáveis? Há, como alguns colegas afirmam, uma quantidade grande de homens que não procura ajuda por vergonha? Este fator subnotifica esses números?

Roberto Vaz Juliano – Essa estatística é confiável, feita com acompanhamento de homens normais, sem queixa alguma. Não são homens que procuram médico. Mas, realmente ainda existem preconceitos e dificuldades, não só dos homens, mas também dos médicos. Alguns médicos esperam os pacientes falarem do assunto. A gente tem estimulado, inclusive na faculdade, que eles tomem a iniciativa, perguntem para os pacientes. Agora, felizmente, este preconceito tem diminuído. Cada vez mais homens com este problema procuram médicos.


Fórum – Quais são os causadores da disfunção erétil?
Roberto Vaz Juliano – Você deve considerar a disfunção erétil como um sintoma. Uma dor de cabeça pode ser sinusite, câncer no cérebro, enxaqueca. A disfunção erétil é igual. Pode ser, por exemplo, um problema de relacionamento. O paciente pode não se dar bem com a parceira do ponto de vista da erotização, apesar se dar bem pessoalmente. Outras vezes por cansaço ou falta de amor e daí para a frente tem o envelhecimento. E têm muitas outras causas. Um parceiro que tem enfisema pulmonar, por exemplo, ele não consegue ficar deitado. Ele não tem capacidade física para ter relações. Há outras doenças que podem provocar a disfunção, como a AIDS, cirrose, doenças hepáticas, insuficiência renal, leucemia, tuberculose entre outras.
Fórum – E a insuficiência coronária?
Roberto Vaz Juliano – A insuficiência coronariana também pode provocar a disfunção. Das pessoas que têm insuficiência coronariana, 30% delas têm dificuldade de ereção. A obesidade é outro fator de risco. E aí, tem também o cigarro, que aumenta a lesão do vaso e, com isso, aumenta as chances da pessoa ter entupimento da artéria. E, além disso, agudamente ele também provoca vasoconstrição. Você fumar um cigarro antes de ter uma relação, por exemplo, não é uma boa ideia.
Fórum – No caso do Alexandre Frota, ele pleiteou do seu plano de saúde o implante de uma prótese inflável, pois, de acordo com o seu médico, a outra, que mantém o pênis permanentemente ereto, além de provocar intercorrências, é constrangedora quando se usa, por exemplo, na praia. Quantos modelos, afinal, existem? Existe algum que seja ideal ou isto varia de acordo com o caso? Ou até com o preço?
Roberto Vaz Juliano – Existem próteses de vários tipos: as rígidas, as semirrígidas e as infláveis. Não há uma melhor ou pior. Depende de cada caso. É como se você me pedisse uma sugestão de carro e eu te dissesse: “Compre uma Ferrari”. Mas, quando chega a Ferrari você acha que o porta-malas é pequeno. É questão de adequar. Vou te dar exemplos. Têm pacientes que tomam banho em banheiro público e preferem prótese ocultável. Outros podem ter um problema na mão, uma artrose, uma dificuldade para inflar a prótese. Então, para este paciente uma prótese semi-rígida seria mais eficaz.
Fórum – E com relação aos preços?
Roberto Vaz Juliano – Realmente existe o problema do custo. A agência Nacional de Saúde não liberou a prótese inflável. Ela custa muito mais caro do que uma prótese semi-rígida. Uma semi-rígida de qualidade custa em torno de R$ 5 mil. Uma inflável vai para R$ 60 mil. Ela realmente tem um custo alto. Eu entendo a posição dos planos de saúde e da Agência Nacional, pois o custo é muito elevado mesmo. Você tem que considerar a questão financeira.


Fórum – E a sensibilidade? Um homem que tem a prótese tem a mesma sensibilidade de quando não tinha?
Roberto Vaz Juliano – Sim. A prótese só vai garantir que a pessoa tenha a rigidez suficiente para a penetração. Ela não muda a sensibilidade, nem a ejaculação e nem o desejo. Se o paciente tem uma parceria boa, uma cabeça boa, ele vai ter uma relação muito satisfatória. Se você usa uma prótese, você vai ter rigidez na hora em que você quiser. Então você vai ter relações três vezes por dia, mas você não tem vontade de ter relações três vezes por dia. Então você não vai gozar três vezes, pois não é o seu desejo. Isso pode ser uma complicação. Às vezes você quer ter, mas a parceira não vai querer ter tantas relações. Alguns pacientes se queixam que a cabeça do pênis fica um pouco mais fria, outros que diminui o pênis, mas a princípio ela não mexe em nada.
Fórum – Estamos em pleno novembro azul, campanha que é uma das prioridades da Sociedade Brasileira de Urologia. Há alguma relação entre a impotência e a prevenção às doenças urológicas, inclusive o câncer de próstata?
Roberto Vaz Juliano – Elas ocorrem paralelamente. A hiperplasia benigna da próstata, o câncer de próstata e a disfunção erétil são doenças do envelhecimento, portanto há relação. Elas acontecem paralelamente. Podem também ter relação causal. O câncer de próstata eventualmente pode ultrapassar os limites da próstata e ter comprometimento dos vasos e artérias e vir a provocar dificuldades de ereção.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

BRASIL: PSOL afasta deputado que votou pela libertação de parlamentares presos no Rio


Política Livre


O PSOL decidiu pelo imediato afastamento do deputado estadual Paulo Ramos do partido e iniciou, na comissão de ética do partido, seu processo de expulsão, após o parlamentar votar na tarde de hoje (17), acompanhando a maioria, pela libertação do presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani; do líder do governo, Edson Albertassi; e de Paulo Melo, ex-presidente da Alerj, todos do PMDB.“O deputado estadual Paulo Ramos, que já vinha se apresentando como desligado da bancada do PSOL, tomou hoje uma atitude inaceitável: votou contra a decisão do partido e foi um daqueles que revogou a decisão unânime do TRF [Tribunal Regional Federal] que determinava a prisão de Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB”, diz a nota do PSOL. Picciani, Paulo Melo e Albertassi foram presos ontem (16), por determinação unânime do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), após terem sido denunciados na Operação Cadeia Velha, que investiga a corrupção entre parlamentares e empresas de ônibus, com recebimento de propinas.Para o PSOL, “o deputado se colocou ao lado da máfia dos transportes, das empreiteiras e de todos aqueles que saquearam o estado do Rio de Janeiro nas últimas décadas”.Paulo Ramos informou que já tinha comunicado ao partido que não iria mais atuar com a bancada e que teria uma postura independente. “O PSOL não concordar com a minha posição é um direito, mas não pode dizer que eu fiquei ao lado ‘da máfia dos transportes, das empreiteiras e de todos aqueles que saquearam o estado do Rio de Janeiro’. Eles deveriam ter ouvido o meu pronunciamento. O que estou defendendo é a Constituição, é o Estado Democrático de Direito. Deputado só pode ser preso por crime inafiançável”, afirmou.Para o parlamentar, o PSOL estava esperando um pretexto para afastá-lo. “Eles admitiram a minha filiação, eles agora que me expulsem, mas que, pelo menos, me ouçam”, acrescentou