quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Serge Goulart - A Dilma não é candidata oficial do PT. Ela foi lançada por Lula pela imprensa sem discussão nenhuma com o partido



Entrevista exclusiva ao AnanindeuaDebates de Serge Goulart Candidato a Presidente Nacional do PT no PED (Eleição Interna do PT) de 2009






AnanindeuaDebates - Serge Goulart fale um pouco da sua trajetória política


Serge Goulart - Sou fundador do PT e fui dirigente do partido em Santa Catarina e membro do Diretório Nacional. Coordenei a campanha das “Diretas Já”em SC, e em 2003 fui eleito Coordenador do Conselho de Fábrica da CIPLA e Interfibra, fábricas ocupadas pelos trabalhadores, assim como Coordenador do Movimento Nacional das Fábricas Ocupadas. Sou da direção Internacional da campanha “Tirem as Mãos da Venezuela”. Sou dirigente da Esquerda Marxista do PT e autor de diversas publicações como “Devolvam a nossa Previdência”, “Racismo e luta de classes”, “ALCA, NAFTA, MERCOSUL e Tratados de Livre Comércio”, além de editor do “Jornal Luta de Classes” e da revista marxista América Socialista.

AD - Sua candidatura representa que setores do PT

Serge Goulart - Minha candidatura tem como objetivo reunir e organizar os petistas para fazer o PT virar à esquerda e retomar a luta pelo socialismo. Para discutir com todo o partido a necessidade de romper com a direita e os partidos da burguesia constituindo um governo dos trabalhadores do campo e da cidade, de luta pelo socialismo. Entre os companheiros e companheiras que apóiam nossa chapa e minha candidatura estão petistas que continuam acreditando e lutando pelo socialismo, operários químicos, ferroviários, vidreiros, metalúrgicos, têxteis, plásticos e de fábricas ocupadas, juventude de diversos estados, militantes do Movimento Negro Socialista, trabalhadores do campo e da cidade que não aceitam a direitização do PT e querem continuar fiéis a classe trabalhadora e ao socialismo.


AD - Qual são os pontos da política econômica do governo Lula que vc. concorda?

Serge
Goulart - A economia é um campo muito amplo. O que interessa é com o que nós não concordamos e isto abrange a continuidade da política de FHC, inclusive as privatizações (hidrelétricas, rodovias, a Amazônia, etc). Consideramos o PAC um projeto de transformação do Brasil numa plataforma de exportação agro-mineral. Toda a política econômica de Lula é para fazer feliz banqueiros e multinacionais. Por isso está ampliando a privatização do BB lançando ADRs em Nova Yorque. Sua política econômica é para salvar o capitalismo e isto tem um significado na luta de classes. Se cair alguma coisa da mesa para os pobres os comensais do banquete não se incomodam. A política econômica de Lula é capitalista. Nós consideramos que este não é o papel do PT. O PT nasceu socialista em luta contra o capitalismo e esta classe social ínfima e degenerada que vive da exploração de bilhões de seres humanos

AD - Em seu Twitter está escrito “FHC saudou Lula por fazer no BB o que ele fez na Petrobras. É verdade! E agora companheiro bancário do BB Ricardo Berzoini? E nós, do PT?!” quem acessa o seu twitter e a pagina do seu sítio www.marxismo.org.br, tem a impressão que é uma pagina de um partido de oposição ao PT e ao governo LULA.

Serge Goulart - Meu Twitter chama a atenção de um companheiro que é bancário, dirigente do PT. E o PT está no governo como patrão da maioria dos bancários. É melhor agir como socialista e atender as reivindicações e não como patrão e por isso os petistas estão incomodados.
E afinal, quem tem outra opinião sobre a política do governo seria de oposição? Esta não é a história do PT onde todas as posições sempre se expressaram livremente. Nós mantemos, de fato, todas as posições originais do PT, de seu Manifesto de Fundação e seu Programa original. Lula e a maioria da direção do PT abandonaram estas posições. Eles estão então em oposição ao PT? Acredito que são apenas diferenças de opinião política e esperamos convencer a maioria dos companheiros a voltar aos trilhos do socialismo.

AD - Dilma é a candidata oficial do Partido ou a espaço para outras pré-candidaturas no PT


Serge Goulart - A Dilma não é candidata oficial do PT. Ela foi lançada por Lula pela imprensa sem discussão nenhuma com o partido. E depois a maioria dos dirigentes foi aderindo sem nenhuma crítica. Mas é só o Congresso do PT que define a candidatura, em março. Até outros nomes podem se apresentar. Existem ótimos companheiros para impedir a direita de voltar e podermos avançar. Por exemplo, o senador Eduardo Suplicy, o Olívio Dutra e o melhor nome de todos, o próprio Lula. Afinal, na democracia é o próprio povo que decide quanto tempo fica no governo um dirigente. Não é Washington que deve decidir isso, como até agora.


AD - O Governo LULA Melhorou o Brasil?


Serge Goulart - A luta da classe trabalhadora mudou o Brasil. Começando por eleger Lula. Esta foi uma grande vitória popular com repercussão mundial. Agora, é evidente que o governo Lula ainda não se colocou a altura do esforço e das necessidades do povo trabalhador brasileiro. O fato de haver um Congresso de ampla maioria de reacionários deve ser resolvido mas o central é que o PT deveria romper as alianças com os partidos burgueses e governar apoiado na mobilização e na organização popular. É hora do PT explicar aos trabalhadores que o capitalismo traz a guerra e o sofrimento como a nuvem traz a tempestade. É preciso que o PT entre na luta para ter um verdadeiro governo do PT apoiado na CUT, no MST e nas organizações populares.

AD - Se vc. Ganhar a eleição para presidente do PT qual vai ser sua relação com o Governo LULA.


Serge Goulart - De companheiro que, representando a maioria do partido, o chamaria para discutir a aplicação, no governo, das posições históricas que fizeram a força do PT e elegeram Lula.
Iniciaríamos imediatamente uma discussão companheira e firme sobre como romper as alianças com os algozes da classe trabalhadora, como romper de fato com o imperialismo e o capitalismo, como mobilizar para defender os direitos e conquistas da classe trabalhadora, atender as reivindicações mais sentidas do povo e avançar para a socialismo. E tudo isso seria feito convocando os militantes a opinar e a decidir, mobilizando o partido desde a base para tomar o partido e o país em suas mãos e começar a varrer o lixo burguês que cobre o Brasil.

AD – Obrigado Serge Gulart

PSDB do Pará Faz Lambança em Brasília


Guerra no ninho tucano. Uma reunião em Brasília ontem, no gabinete do presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, só não terminou em pancadaria graças à intervenção do próprio presidente, que a todo momento pedia calma aos presentes. Em discussão, a disputa pela indicação do candidato ao governo do Estado e a presidência regional do PSDB. Os protagonistas do vale tudo: Pioneiro, Megale, Nilson Pinto, Mario Couto, Zenaldo Coutino e outros... nos corredores do Congresso, em frente ao Gabinete do Senador Sergio Guerra se formou uma multidão para ouvir as baixarias. Há relatos de ameça de morte.

Quantos diplomas tem o Serra? Nenhum. È o caso de impeachament?


O Conversa Afiada recebeu de amigo navegante os documentos oficiais que acompanham nos registros públicos o que José Serra disse de si mesmo. . Acompanhe conosco. . Quando se elegeu deputado para as legislaturas 1987-1991 e 1991-1995, ele disse que era formado ( FORMADO !) em engenharia civil, USP, São Paulo – 1960-1964; e Doutorado em Economia, Cornell University – EUA – 1974-76. . Observe, amigo navegante, que ele não menciona o que estudou no Chile nem o mestrado em Cornell. . Quando exerceu o cargo de senador, em 1995, na 50ª. Legislatura, ele disse de si mesmo: Formado (atenção !), formado em engenharia civil pela escola Politécnica de São Paulo, 1964; Mestre em Ciências Econômicas – Universidade do Chile, 1972 ( o que não aparece quando era deputado); Master of Arts, Cornell University, 1975 ( o que também não existia quando foi deputado); e por que dois mestrados ?; e Doutor em Economia PhD, Cornell, 1977. . Ou seja, entre 1975 e 1977 ele fez um segundo Mestrado e o Doutorado em Cornell. . Trata-se de um gênio ! . Quando exerceu o cargo de senador na 51ª. Legislatura, em 1999, o currículo é o mesmo da 50ª. Legislatura. . Quando eleito governador, em 2006, apresentou-se com outras explicações (talvez por que o curso de engenharia civil da USP se tenha tornado suspeito). . Disse ele quando governador: “não pode conclui seus estudos de engenharia”. . Logo as informações prestadas como deputado e senador ERAM UMA FRAUDE. . E diz mais: formou-se em mestre em Economia pela Universidade do Chile e fez outro (outro ?) mestrado e doutorado pela Universidade de Cornell. . Cadê o diploma de mestre na Universidade do Chile ? . Cadê o diploma de mestre em Cornell ? . Cadê o diploma de Doutor PhD pela Universidade de Cornell ? . E, o mais importante: cadê a revalidação dos três diplomas em escola brasileira ? . Sem o diploma brasileiro, ele não é nada. . E não pode exercer a função de economista, nem se dizer economista, como não podia se dizer engenheiro. . A Ministra Dilma Rousseff nunca disse que tinha feito o Doutorado na Unicamp. . E corrigiu os currículos que a apresentavam como doutora pela Unicamp. . Mas, ele não se arrogava o direito de ser chamada de Doutora. . O Zé Pedágio se apresenta repetidamente como Mestre e como Doutor. . E é considerado “economista competente”. . Não é um nem outro. . Cadê o diploma dele ?
Fonte: Blog Conversa Afiada.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Empresários Paraenses contratam Instituto da Bahia para fazer pesquisas eleitorais


Empresários do Pará mandarão fazer pesquisas regularmente.


Todas as entidades empresariais do Estado – inclusive, é claro, a Federação das Indústrias e a Federação da Agricultura – montaram uma estratégia para os próximos 12 meses, dividida em três eixos.
Primeiro, mandarão fazer pesquisas de intenções de voto regularmente, sobretudo para os cargos majoritários (governador e senador). Segundo, apresentarão uma proposta de governo, e para isso contrataram empresa de consultoria que já fez algo semelhante em Minas, governada pelo tucano Aécio Neves. Terceiro, será feita uma pesquisa que consultará a sociedade paraense sobre o que espera dos próximos governantes e quais são as prioridades do Estado. A primeira já foi concluída e está guardada a sete chaves. Mas uma das chaves, vocês sabem, não fechou direito a porta do cofre e alguns números já vazara

Fonte: Blog Espaço Aberto

PESQUISA, MUQUECA E ACARAJÉ


Nas eleições de 2006 para o governo da Bahia disputavam Jaques Wagner (PT) e Paulo Souto (DEM, ex-PFL). O grande cabo eleitoral de Paulo Souto era o poderoso ACM, que estava em plena forma. As pesquisas eram feitas, em sua maioria, por institutos locais, terceirizados pelas empresas nacionais (Ibope, Vox Populi, etc). Todas apontavam a vitória do candidato de ACM no primeiro turno, ninguém apostava um real na candidatura petista. Abertas as urnas, como se falava no meu tempo, deu Wagner na cabeça, no primeiro turno. Toninho Malvadeza entrou em prantos.

Quem relata o fato é o Comodoro da Organização Catrevagem, China Bastos, sociólogo e torcedor fanático do Ypiranga (time de Jorge Amado), um habitué das rodas de bares e da política da Bahia: “O Toninho Malvadeza (ACM), depois do resultado das eleições, caiu em prantos e, soluçando, falou: Acarajé e moqueca eu compro, mas pesquisa de baiano nunca mais


Artigo: Rui Baiano Santana

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Pão e água


Segundo alguns petistas que participam do governo Hélder Barbalho, estão sendo tratados a pão e água. Os órgãos municipais que são dirigidos por petistas, vivem ás mínguas.
Com seu jeito centralizador o Prefeito não deixa passar nada sem que tenha seu crivo.

Plano B pra valer.












O PT pra valer (Tendência interna do PT), vem para o PED (eleição interna para direção do PT) com dois nomes de peso, Felipe Bastos e o Vereador Pedro Soares. Nos bastidores petista, acredita-se que a candidatura do Secretário Felipe Bastos anda balançando.

Emenda "Boca Livre" Ananindeua vai ter 23 Vereadores


EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 58, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. a famosa emenda “boca livre”, que aumentou o numero dos vereadores para 7.500 em todo Brasil.
Pel
o critério da Emenda, Ananindeua vai ter 23 (hoje são 19)
Vereadores. De acordo com a nova lei: (Os Municípios de mais de 300.000 (trezentos mil) habitantes e de até 450.000 (quatrocentos e cinquenta mil) habitantes terão 23 vereadores); segundo os dados do IBGE relativo ao último censo de 2000 o Município tem 393.569 habitantes.

Errata: População de Ananindeua é estimada em 484.278 mil habitantes. Dados IBGE.

Assim teremos 25 Vereadores em Ananindeua, quando? Ai é com a Justiça Eleitoral.

GUIA DA HISTÓRIA DAS ESQUERDAS BRASILEIRAS


GUIA DA HISTÓRIA DAS ESQUERDAS BRASILEIRAS, e um importante instrumento de pesquisa para estudantes, pesquisadores, escritores e militantes políticos. Esse guia tem por objetivo disponibilizar para pesquisadores e para o público em geral informações as mais atualizadas possíveis sobre a história e a historiografia dos partidos e movimentos de esquerda no Brasil Entendemos por esquerdas o conjunto dos indivíduos e organizações, partidárias ou não, articulados em torno de uma cultura política comum que almeja a superação do capitalismo pela realização da sociedade socialista. Essa cultura política maior das esquerdas contem as culturas políticas específicas das várias correntes que as compõem. No Brasil, as esquerdas são formadas pelos anarquistas, socialistas, comunistas ("stalinistas", "trotskistas" etc.).


O Guia da História das Esquerdas Brasileiras está localizado no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais do Rio de Janeiro (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
O Guia da História das Esquerdas Brasileiras é um projeto sem fins comerciais de disponibilização, através da Internet, de informações atualizadas e de fácil acesso sobre a história e a historiografia das esquerdas brasileiras. Ele foi concebida e é editada pelo Prof. Dr. Ricardo Figueiredo de Castro.
O Guia da História das Esquerdas Brasileiras reconhece a contribuição da UFRJ, do Laboratório de Informática do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) e do Departamento de Históriaque fornecem o acesso à Internet e o respectivo suporte técnico e institucional para o projeto.
O Guia da História das Esquerdas Brasileiras é um projeto independente em relação à UFRJ. Portanto, ela não é sua responsável legal.

O GUIA CONTÉM:

Clique aquie e acesse aqui a pagina do Guia

Emaús ainda aceita doações


A Grande Coleta de Emaús voltou ontem às ruas de Belém e Ananindeua. Cerca de 400 voluntários saíram pelos bairros, batendo de porta em porta, em busca de doações. Fogões, geladeiras, brinquedos, aparelhos eletrônicos, funcionando ou não, e roupas usadas foram recolhidos em grandes caminhões enfeitados para serem posteriormente reaproveitados. A 36° Grande Coleta do Movimento República de Emaús teve como tema 'Cidadania e Igualdade: Direitos Humanos, Direitos de todos'.
O objetivo, além de angariar doações, é chamar atenção da sociedade para necessidade de se unir em busca de direitos iguais a todos, com dignidade.

Opinião do Internauta:SOBRE O PIB DO 2° TRIMESTRE: REALIDADE E MITO

Texto encaminhado ao blog por Daniel Veiga, Militante histórico da esquerda Paraense.

O IBGE publicou, em setembro, os dados sobre o período abril-junho deste ano, detectando um crescimento de 1,9% no PIB ante o 1o trimestre e o retorno de uma parte dos empregos perdidos. Foi suficiente para que se orquestrasse o coro dos empiristas e deslumbrados. As autoridades federais, que emitiram opiniões pueris e até absurdas a partir de setembro de 2008, segundo as quais o País estaria imune a uma crise considerada como doença alheia, hoje se jactam do que julgam ser a façanha de sua exemplar política antirrecessiva. Menos, menos ...

Para além do vício pragmático e das pirotecnias midiáticas de costume, potencializados pela disputa presidencial de 2010, que já começou, os analistas e governantes se deparam com dificuldades reais quando tentam fazer prognósticos econômicos sobre o fundo do poço, o tempo necessário para emergir-se e os efeitos a serem esperados. Isso porque, como assinalaram as Teses sobre Conjuntura e Tática (Cap. I, As dimensões cíclicas da crise, tese 20), a crise contemporânea tem múltiplas esferas, que são dinâmicas, interrelacionadas, contraditórias e hoje confluentes entre si:

“a) os fundamentos essenciais, com seus limites absolutos localizados no modo de produção e na reprodução do capital, expressos em forma de impasse universal;

b) as ondas longas – a fase depressiva da última tem mais de três décadas –, com suas características histórico-sociais e limites relativos;

c) os pulsos conjunturais, com suas conformações e características singulares, mais ou menos abrangentes ou persistentes em cada região, país ou momento.”

Ora, os políticos e economistas da ordem, mesmo aqueles com pretensões progressistas e humanitárias – como os social-liberais –, ignoram completamente os fundamentos essenciais (item a) e as ondas longas (item b). Não enxergam a crítica da economia profunda, que embasa a teoria dos ciclos sob o jugo capitalista e que descortina tanto as contradições quanto os limites absolutos da sociabilidade burguesa desde sempre e ainda mais na contemporaneidade. Também estão cegos diante da fase B ou depressiva da onda longa, conhecida como 4º Kondratiev, iniciada em 1972 mundialmente e no Brasil, que persiste e lastreia os ciclos conjunturais e as inúmeras recidivas ocorridos desde então, incluindo seus limites relativos de maior expressão.

O que chamam de crise – grosso modo – é apenas a constatação dos aspectos superficiais e mais notórios do ciclo conjuntural em curso, horizonte máximo de sua miséria teórica e de suas angústias práticas, articuladas em torno do binômio lucro-governabilidade. A conclusão desses profetas do senso comum é que a crise, como um todo, já foi superada. Para Luiz Inácio da Silva a “crise está vencida no Brasil”. Um comentarista da grande imprensa chegou a ombrear a economia brasileira com a chinesa – que teve um aumento no PIB de 2% no 3º trimestre –, decretando uma espécie de “empate técnico”. Existe até quem passou a elogiar o titular do Planalto, aludindo à sua “premonitória” imagem de “marolinha”, a exemplo de articulistas brasileiros e jornais considerados austeros do exterior.

Viseira? Desejo? Ambos? É obvio que o pulso conjuntural no Brasil será ultrapassado mais dia menos dia, com ou sem repiques e recidivas. O comportamento cíclico, como comprovou Marx, é próprio do metabolismo capitalista e sua recuperação é tão certa como dois e dois são quatro. Não menos garantido é que haverá novos pulsos enquanto existir a formação econômico-social burguesa. Também é claro que as políticas federais – o aumento persistente do salário mínimo e os projetos de assistência social, bem como a intervenção do Estado na forma de renúncia fiscal, financiamentos e aumento de gastos públicos – destoantes pontualmente dos dogmas e diretrizes neoliberais prevalecentes em geral ajudaram a evitar o pior em plena débâcle, possibilitaram o aumento do consumo familiar em 2,1% no 2o trimestre e seguraram o mercado nos últimos meses. Diga-se de passagem: bastou uma pequena oscilação nas condições objetivas para que setores mais conscientes e mobilizados do proletariado, até agora carregando o maior peso da crise, se sentissem motivados e capazes de protagonizar um novo e corajoso ciclo grevista.

Todavia, mesmo a retomada momentânea tem mais complexidades do que, lembrando Shakespeare, “pode conceber” “a vã filosofia” dos ingênuos de sempre e dos vivaldinos de ocasião. Já ficou constatado, pela mera observação da linha desenhada pelos dados empíricos nos eixos do sistema cartesiano bidimensional, que o ciclo conjuntural no Brasil não se assemelhou à letra “V”. Em vez de recuperar-se a partir de imediata ascendência após tocar o fundo do poço, constituindo um vértice pontiagudo, manteve-se em baixa, assumindo uma forma alongada semelhante àquela da parte inferior do “U”. Assim, o fundo espichou-se de janeiro (com suave descida) a junho (com suave subida), isto é, por todo o 1º semestre deste ano.

Se a referência for apenas o PIB, o crescimento de 1,9% em abril-junho superou o recuo de 0,85% em janeiro-março, que foi o termo comparativo para o cálculo, compondo a curvatura típica da mencionada base. Entretanto, a queda de 3,6 no 4o trimestre de 2008 ainda está por ser compensada: a onda conjuntural ainda se situa em sua fase côncava. Eis uma das diferenças abissais – há outras – entre China e Brasil: naquele país oriental ocorreu mais um crescimento de 2% sobre uma base forte e ascendente; nesta nação sul-americana, houve uma recuperação de 1,9% sobre uma base fraca e declinante.

Se o termo de comparação for o desempenho em 2008, a recuperação aparece ainda mais precária. No 1o trimestre de 2009 a retração foi de 1,8%, bem mais pronunciada, pois, do que a recuperação de 1,2% no 2º, ambas consideradas relativamente aos mesmos períodos do ano anterior. A situação da indústria, onde se localizou o epicentro da recessão, é ainda mais débil, haja vista a queda de 19,8% no último trimestre de 2008 e de 3,1% no 1o de 2009 ante os anteriores. A produção baixou 7,9% entre abril-junho de 2009 e o 2o trimestre do ano anterior. Tanto é que a base física da transformação industrial recuou 13,4% no 1o semestre de 2009 sobre igual período de 2008 e continuava, em junho, 11% abaixo da existente antes do ciclo conjuntural da crise.

Logo, o conceito corrente de “recessão técnica”, que referencia as análises dos especialistas oficiais, é insuficiente para entender-se a lógica, a dinâmica e as conseqüências sociais dos processos econômicos, mesmo em se tratando de ciclos de curto prazo, especialmente num país como o Brasil, em que nas últimas décadas o desenvolvimento foi deveras insuficiente – compondo um déficit acumulado de atraso, problemas sociais gravíssimos e pobreza crônica – e em que o desemprego só recuará significativamente se o PIB crescer a uma taxa média sustentada acima de 4,5%, como a experiência vem comprovando.

Mesmo que o movimento de saída do pulso conjuntural – ou a aproximação de uma nova fase convexa – se mantenha firme no 2o semestre, como esperam os responsáveis pelo BNDES, BC e Ministério da Fazenda e Presidência da República, voltando aos níveis de setembro de 2008, a recuperação efetiva, estável e duradoura do crescimento e do mercado de trabalho não se dará antes de 2010, por conta das seguintes características, dentre outras:

- localização em ramos particulares;

- oscilações em parte sazonais, como nos fins de ano;

- índices em geral mais baixos do que os de 2008;

- condições objetivas internacionais adversas;

- comércio exterior inibido;

- mercado interno desequilibrado, sustentado basicamente pelos segmentos de baixa renda e pela venda de bens de consumo financiados;

- produção e importação de meios de produção paralisadas;

- dependência exagerada de estímulos públicos providos por fonte estatal de capacidade limitada e motivação datada;

- sangria constante dos recursos públicos por meio do endividamento a juros altos;

- fonte de bens industriais localizada, basicamente, nos estoques acumulados e na capacidade já instalada;

- taxa muito baixa de formação bruta de capital fixo ou investimento, que caiu 17% no 2o trimestre ante igual período de 2008;

- política econômica eclética, sem uma estratégia clara.

Diante desse quadro, o futuro continua nebuloso. Trata-se de má notícia para os profetas que vaticinam para breve um novo Mar de Almirante! Que futuro poderia ter o diagnóstico desses candides nada voltaireanos, que caíram do céu em setembro de 2008 para as profundas do inferno em janeiro de 2009 e agora se imaginam novamente sentados ao lado do Senhor sem ao menos passar pelo purgatório? Tão somente a repetição inconsciente e trágica do gesto simbólico, pedagógico e irônico do padre José de Anchieta numa praia do litoral sul capixaba, quando simulava esvaziar os oceanos com um simples dedal.

Belo Horizonte, 20 de setembro de 2009,

Ronald Rocha

Publicado na Tribuna de Debates do II Congresso da RC

Jornal francês Le Monde: Lula, acertou crise foi marolinha"


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma visão "bastante correta" ao dizer, no ano passado, que a crise no Brasil provocaria apenas uma "marolinha", diz artigo publicado no jornal francês Le Monde nesta quinta-feira (17/09).

O diário argumenta que a recessão no Brasil durou apenas um semestre (pra desespero dos tucanos e da imprensa golpista), citando o aumento de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre de 2009, após queda nos dois trimestres imediatamente anteriores, além da recuperação da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e do real.

"A rápida recuperação do Brasil demonstra a precisão da estratégia adotada pelo governo e concentrada no apoio do mercado interno. As reduções de impostos a favor das indústrias de automóveis e de eletrodomésticos mantiveram as vendas nestes dois setores cruciais", afirma o jornal, lembrando ainda que a confiança do consumidor brasileiro jamais chegou a ser abalada.

No artigo, intitulado "A retomada do crescimento mundial se baseia nos Brics", o Le Monde traça o panorama econômico dos países do grupo - Brasil, Rússia, Índia e China - um ano após a queda do banco Lehman Brothers, considerada o marco da atual crise financeira global

sábado, 26 de setembro de 2009

Pedrinho Cavalléro e Ze Renato - Vixe como tem Zé na Paraiba

Para Dr. Oliviomar Barros e Bira Diniz
video

O Pará e sua Cultura. "Festa do Mingau" em Nova Timboteua

Este ano a festa teve ilustres personalidades. Estiveram também em visita a residência do Sr. Zezé Castro (Presidente da Fundação ZeZé Castro) a Governadora do Estado, o Deputado Estadual Cássio Andrade, grande entusiasta do Município, apoiador das ações dos Vereadores Ronaldo e Help, do Ex- Prefeito Manoel Nogueira, sua esposa, Presidente do PT Municipal e Eliana, Candidata a Vice Prefeita na Eleição de 2008

Segundo moradores de Nova Timboteua, a 'Festa do Mingau' é a maior manifestação popular do local, atraindo participantes de Belém e das regiões próximas.
A 'Festa do Mingau', por ser o principal destaque do calendário cultural, mobiliza o município inteiro desenvolvendo várias ações de caráter sócio-cultural impulsionando a economia municipal, fortalecendo o turismo e ainda mobilizando outros setores na geração de emprego e renda. Centenas de famílias se beneficiam do evento explorando os comércios de alimentos, bebidas, artesanatos, hospedagens e transportes.
A festa
acontece no ínicio do mês de julho esse ano foi a 25 edição e férias do mês de julho.

O município de Nova Timboteua pertence à Mesorregião Nordeste Paraense e à Microrregião Bragantina.

Acesse o link www.timboteuagora.com.br


O Dia D


Dia 30/09 e o último dia para quem quer disputar um lugar ao sol na política, nesse data termina o prazo para ás filiações partidárias para ás eleições de 2010.

Ministro do Esporte no Pará


O ministro “Baianinho” Orlando Silva, como o chama carinhosamente o outro baiano Gilberto Gil, estará no Pará dia 16/10 cumprindo agenda ministerial, também participará de um ato organizado pelo PCdoB para receber os novos filados ao Partido.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

PT Ananindeua tem 10 candidatos a Presidente.


Encerrou na quarta feira (23/09) ás inscrições das chapas que vão concorre à direção e a presidência do PT Ananindeua, inscreveram-se 10 candidatos ao cargo de presidente para entidade. A novidade foi o jornalista Beto Ribeiro (Foto) ex-presidente do PT que no apagar das luzes entrou na disputa. Luís Freitas e Sandra Batista vice-prefeita de Ananindeua não participam de nenhuma chapa.

PEC DA CULTRA DE AUTORIA DO DEP. PAULO ROCHA APROVADA

dito_166_24-09-2009_1.jpg

Pedrinho Cavalléro vai fazer Show na Cidade Nova


Nosso artista maior, Pedrinho Cavalléro, vai está domingo na Pça da Bíblia, Cidade Nova II, quem quiser acompanhar a agenda de Pedrinho só e clicar aqui no seu Twitter. Vamos está lá.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A Policia inteligente


A Policia Militar do Estado do Pará, do Município de Santarém entrou para Blogesfera, Lançou na terça-feira (22/09), o blog www.pmcpr.blogspot.com quem assina ás postagem é o Comando de Policiamento Regional(CPR-1), Segundo o comando o objetivo do blog é estabelecer maior contato e interatividade entre a população e a tropa dos 15 municípios que compõem o CPR-1. O coronel Agenor de Campos Coelho, Falou sobre a necessidade de criação do blog “Nossa região é imensa e com o blog a pretensão é diminuir ás distâncias e fazer com que a população de cidades com localização extremas, como por exemplo, Faro, Monte dourado e muitos outros municípios possam ter contato com o Comando de Policiamento Regional 1”
Bem vindos a Blogesfera!