segunda-feira, 30 de abril de 2012

Resultado da Enquete: 70% dos Internautas avaliam como Péssima a atuação dos vereadores de Ananindeua




 
Execelente
  9 Votos (6%)
 
Boa
  11Votos (7%)
 
Ruim
  19Votos (12%)
 
Péssima
  103Votos (70%)
 
Não quero opinar
  5 Votos (3%)
 

sábado, 28 de abril de 2012

Censura: R$ 3 milhões do Google estão bloqueados pela justiça do Pará.

 
Via Blog "Rodon sem Cesura"


Em mais um embate em tribunais brasileiros, o Google foi obrigado a tirar do ar um blog hospedado no Blogger e teve contas correntes no valor de R$ 3 milhões bloqueadas pela justiça. Dessa vez o processo foi movido no Pará por um juiz que acusa o tal blog de tê-lo difamado.
A batalha que o Google enfrenta é contra o juiz Gabriel Costa Ribeiro, da cidade de Rondon do Pará. A alegação do juiz é de que o blog “Rondon sem Censura”, hospedado no Blogger, publicou informações que feriram sua honra. Ele ajuizou ação pedindo a remoção do blog, o que lhe foi concedido. Ao Google coube cumprir a ordem ou arcar com multa diária de R$ 100 mil, além de ter suas contas correntes no país, com R$ 3 milhões, bloqueadas.
A decisão foi proferida nesta terça-feira e o Google já recorreu. Não só: a empresa também acusa o juiz responsável por julgar o caso, Alexandre Hiroshi Arakaki, de suspeição, ou seja, de não ser totalmente imparcial no caso em tela. O Google sustenta essa acusação dizendo que a propositura da ação original pelo juiz Gabriel se deu na comarca onde o mesmo é o único juiz no período entre 15 e 17 de fevereiro, quando ele tirou licença-médica. A empresa ainda alegou que “o bloqueio judicial feito com rapidez e agilidade fora dos padrões do judiciário”.
Casos do tipo já não são novidade e em pendengas passadas o Google saiu vitorioso — a nosso ver, justamente. O STJ concorda que a culpa deve recair sobre quem publica, não sobre o meio usado para veicular o material, de modo que grandes são as chances de a decisão ser reformada quando chegar a instâncias superiores.
Tentamos entrar em contato com a assessoria do Google Brasil para ouvir o lado da empresa, mas até o momento não tivemos retorno. Assim que recebermos uma resposta, este post será atualizado.
Hoje cedo conversamos com a Fabiana Siviero, diretora jurídica do Google, sobre a questão. Ela nos informou que o Google não tirou o blog do ar por acreditar que o conteúdo questionado judicialmente responde por uma parte ínfima do mesmo, logo, não justificaria a remoção dele por inteiro já que há muita coisa que não diz respeito ao litígio. A empresa também conseguiu um efeito suspensivo na multa diária por manter o blog no ar e recorrerá da decisão, conforme descrito na notícia originjal.

Postado Por:

http://www.gizmodo.com.br/conteudo/r-3-milhoes-do-google-estao-bloqueados-pela-justica-do-para/


  Por Lauro Jardim.


Google está perdendo uma batalha milionária contra o juiz Gabriel Costa Ribeiro, da cidade de Rondon do Pará. O magistrado alega que o blog Rondon sem Censura, hospedado no serviço Blogspot, do Google, tem publicado informações que ferem a sua honra. A Justiça paraense determinou que a empresa tirasse o site do ar em 24 horas, sob pena de pagamento de multa diária de 100 000 reais. Também foi ordenado o bloqueio de contas correntes do Google no valor de 3 milhões de reais.
Além de recorrer do caso, o Google entrou com uma ação de suspeição contra o juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, responsável pela decisão. A empresa alega que “o bloqueio judicial feito com rapidez e agilidade fora dos padrões do judiciário”. Além disso, o Google afirma que  o juiz Gabriel Costa Ribeiro propôs a ação na mesma comarca em que é único juiz, só não ficando com o processo nas mãos porque pediu uma licença-médica entre 15 e 17 de fevereiro.
(Atualização às 12h41: uma liminar concedida pelo CNJ em 13 de abril impede que o juiz saque a quantia bloqueada do Google.)
Por Lauro Jardim

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Comissão da Câmara dos Deputados aprova presença obrigatória de dentistas em hospitais

Kokay: patologias bucais aumentam o tempo de internação dos pacientes.

Foto:Reinaldo Ferrigno


A Comissão Seguridade Social e Família aprovou nesta quarta-feira (18) proposta que torna obrigatória a presença de dentistas em hospitais públicos e privados de médio ou grande porte em que haja pacientes internados ou que atendam a doentes crônicos. Foi aprovado o substitutivo da relatora, deputada Erika Kokay (PT-DF), ao Projeto de Lei 2776/08, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ).
O texto assegura a assistência odontológica a todos os pacientes em regime de internação hospitalar, aos atendidos em casa na modalidade “home care” e aos doentes crônicos, mesmo que não estejam internados. O projeto original garantia o serviço apenas em unidades de terapia intensiva (UTIs) e em hospitais públicos e privados com pacientes internados.
Além disso, de acordo com a proposta de Mulim, as clínicas, pública ou privadas, também deveriam manter profissionais de odontologia à disposição dos pacientes. Pelo substitutivo, apenas os hospitais de médio e grande porte deverão cumprir essa regra.
Referência
Erika Kokay lembra que as patologias bucais aumentam o tempo de internação dos pacientes e podem até levar à morte. “A iniciativa proposta pode ser considerada como a extensão de uma prática já seguida por algumas instituições de referência nacional e internacional, como os hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, quanto ao atendimento odontológico”, afirmou.
Pela proposta aprovada, as UTIs deverão contar com cirurgiões-dentistas. Já os outros estabelecimentos poderão manter outros profissionais habilitados na área, desde que supervisionados por um odontólogo.
Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carolina Pompeu
Edição – Marcelo Oliveira

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Prof. Celio Rodrigues é o novo Secretário de Transportes de Ananindeua

O Prof. Celio Rodrigues, assumiu em abril a Secretaria de Transportes de Ananindeua (DEMUTRAN). Ele é professor de história da rede de ensino particular, e também  um dos empresários mais respeitados do município de Ananindeua,  proprietário do Pitágoras Concursos.

Hoje último dia para votar na Enquete: Como você avalia a atuação dos vereadores de Ananindeua?

terça-feira, 24 de abril de 2012

Vereadora do PT de Salinas é presa


A vereadora Jamili dos Santos Corrêa (PT) e a assessora da parlamentar, Marly Helena de Souza Costa, foram presas em flagrante, na manhã de ontem, por policiais civis do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) do Pará, em Salinópolis, região nordeste do Estado. As duas são acusadas de extorquir em R$ 100 mil o prefeito do município, Vagner Curi, desde o ano passado, para não levar adiante a instalação de um processo de impeachment do gestor municipal. O flagrante foi realizado na orla da praia do Maçarico, no momento em que as acusadas haviam acabado de receber um pacote com R$ 75 mil em dinheiro do sobrinho de Curi.



A outra parte do valor - R$ 25 mil – já havia sido paga anteriormente, segundo informou o prefeito em depoimento prestado na unidade policial de Salinópolis à equipe de policiais do NIP. Sob comando dos delegados Cláudio Galeno e Christian Lima, do NIP, a operação policial que resultou no flagrante era planejada há cerca de dois meses, logo após a denúncia ser formulada pelo prefeito à Promotoria de Justiça de Salinópolis. A denúncia foi encaminhada à Delegacia-Geral da Polícia Civil.



Por determinação do delegado-geral Nilton Atayde, a equipe do NIP passou a investigar os fatos. Os policiais civis apuraram que, segundo Vagner Curi, a vereadora estaria exigindo a quantia de R$ 100 mil para não levar adiante o processo de cassação do gestor municipal que é presidido pela parlamentar. A sessão para decidir sobre a abertura do processo está marcada para a próxima quinta-feira na Câmara de Vereadores. Conforme relato apresentado aos policiais, Vagner Curi alega que vinha sofrendo extorsão por parte da vereadora desde o segundo semestre do ano passado.



Diante disso, sob orientação policial, o prefeito marcou para ontem pela manhã, para fazer a entrega do restante dos R$ 100 mil – R$ 75 mil – na orla da praia do Maçarico, um dos principais pontos turísticos do balneário de Salinópolis. O dinheiro foi entregue dentro de um pacote de papel ao sobrinho do gestor, cujo nome será mantido sob sigilo. De carro, ele foi ao encontro de Jamili que estava ao lado da assessora.


As duas, a pé, foram em direção ao carro e receberam o pacote com o dinheiro. O momento da entrega do pacote foi filmado pela equipe do NIP que, à distância, acompanhava a movimentação na praia. Assim que recebeu o pacote, a vereadora foi abordada e recebeu voz de prisão, sendo conduzida, junto com a assessora, para a Delegacia de Salinópolis. Em depoimento, a vereadora justificou o recebimento do valor em dinheiro alegando que pretendia desmascarar o prefeito. Ela diz que usaria o dinheiro para provar a corrupção do prefeito.  (Jornal Amazônia)

Blog Censurado por juiz de dom Eliseu volta ao AR


O blog "Rodon Sem Censura",  que  foi censurado e tirado  do  ar a mando do Juiz Gabriel Ribeiro da comarca de Dom Elizeu, já  voltou ao ar.   Os advogados da Google do Brasil, impetraram recurso   junto   ao Tribunal de Justça do Pará, solicitando a volta do blog ao ar.  A  Desembargadora Gleide Pereira Moura suspendeu a decisão proferida pelo juiz de Dom Elizeu. 
Os advogados da Google do Brasil afirmaram que " Os comentários lançados em nada ferem a honra do agravado pois em sua maioria não há sequer  menção do nome do mesmo".  O Juiz Gabriel, argumentou que o blog  fez cometários que feriram sua honra.  
 A empresa afirmou ainda que a remoção imediata do blog inteiro, causou uma gritante desproporção na aplicação da razoabilidade, já que o direito à liberdade de expressão do "blogueiro"  foi prejudicado. A mesma decisão suspendeu a multa de R$ 100 mil reais ao editor do blog Dr. Marcelo.   Só que precisamos ficar atentos, pois ainda tem o julgamento do mérito. Solicitamos aos internautas e bloguerios que enviem comentários de solidariedade ao blog  http://rondonsemcensura.blogspot.com.br/ e emails ao presidente do  TJE solicitando o fim da censura aos blogueiros do Pará.
Ato Contra a Censura

No dia 17 de maio os Blogueiros Progressistas do Pará irão realizar um ato festivo contra a censura  aos blogs no Pará.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

GOVERNO DO ESTADO PROMETE ATENDER REIVINDICAÇÃO DO STAFPA (Sindicato dos trabalhadores do setor público agropecuário e fundiário do Estado do Pará )

ISONOMIA SALARIAL

Artigo de Harley Cunha presidente do STAFPA

  Uma das pautas mais importantes do Sindicato dos trabalhadores do setor público agropecuário e fundiário do Estado do Pará (STAFPA) para os servidores da Secretaria de Estado de agricultura (SAGRI) é a Isonomia no salário dos engenheiros agrônomos. Atualmente em torno de 30% desses servidores tem o seu salário base próximo do mínimo de R$ 622, enquanto outros em virtude de processos judiciais ganham acima de 3.000 reais.

Por isso, o STAFPA tem lutado nos últimos anos para que o nivelamento seja feito pelo maior salário, já que o governo do Estado não paga o Salário profissional de acordo com a lei LEI Nº 4950-A/66.

Nesse sentido, na última reunião, do sindicato com o governo, a secretária de administração, Alice Viana, anunciou que o governo do Estado dará um passo importante para o atendimento das nossas reivindicações. Sendo assim, a partir de junho o salário destes profissionais (Agrônomos), bem como, dos demais de nível superior que ganham em torno de 01 salário mínimo terão seus salários reajustados para aproximadamente 1.200 reais.

Com efeito, somado a Gratificação de nível superior (GNS), prevista no Regime jurídico único, nenhum Engenheiro Agrônomo e servidor de nível superior terá remuneração inferior a 2.183,00 reais.

Portanto, mesmo não contemplando nossa proposta de Isonomia salarial, é um passo importante no atendimento de nossa reivindicação.
Foto Rui Baiano Santana

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Presidente do STF Ministro Ayres Britto, é um dos convidados para a abertura do 3º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas

Estão abertas as inscrições para o 3º Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas


O novo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, é um dos convidados para a abertura do 3º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, que ocorrerá em Salvador, Bahia, nos dias 25, 26 e 27 de maio. Segundo o jornalista Altamiro Borges, presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, entidade que organiza o evento, o ministro é defensor notório da liberdade na internet e da blogosfera. “Ele critica o atraso e conservadorismo da mídia quanto ao papel e à dinâmica da internet”.
O ministro assume a presidência do STF no dia 19 de abril e prometeu enviar mensagem, caso não possa participar da cerimônia de abertura do encontro. Também foram convidados o cineasta norte-americano Michael Moore, o ex-ministro da Secretária de Comunicação da Presidência da República Franklin Martins, o ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e o deputado federal Emiliano José (PT/BA), integrante da Frente Parlamentar pelo Direito à Comunicação e pela Liberdade de Expressão, além de jornalistas e ativistas.
Leia também:
  • Acorda, Brasil - Argentina sai na frente ao criar televisão aberta a todos os sotaques e vozes. No Brasil, a sociedade cobra Dilma para avançar projeto já rascunhado. A Bahia saiu na frente
Os principais debates se darão em torno da liberdade de expressão e da regulação da mídia. Vários setores da sociedade brasileira estão mobilizados e realizam manifestações frequentes para pressionar o governo a discutir um novo marco regulatório das comunicações para democratizar o setor.

A inscrição para o encontro vai até o dia 11 de maio. O valor é de R$ 60,00 para os blogueiros e de R$ 30,00 para estudantes.

Mais informações: www.baraodeitarare.org.br

Novo endereço do Blog da professora Edilza Fontes

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Morre Valmir Bispo ex-presidente da UNE


O Corpo do paraense Valmir Bispo, ex-presidente da UNE, foi encontrado nessa manhã em sua residência em Belém, com sinais de estrangulamento, ainda não se tem   informação detalhada sobre a circunstância da sua morte.

Professores da Rede Municipal de Ananindeua entram em greve

Beto Andrade (camisa preta) Coordenador do Sintepp Ananindeua
Os  professores da rede municipal de ensino de Ananindeua, decidiram em assembleia, na quarta-feira (18), entrar em greve por tempo indeterminado. De acordo  com direção  do Sintepp Ananindeua (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará), os professores  não são recebidos pela secretária de educação para negociar suas reivindicações.

Assembleia que decidiu a greve





Após decidir pela greve,  os professores fizeram uma manifestação em frente ao prédio da Secretaria Municipal de Educação de Ananindeua no Bairro da Guanabara. A categoria reivindica reajuste do piso salarial em 30%, vale alimentação de R$ 500,00 e revisão imediata do PCCR (Plano de Cargos Carreiras e Salários).



Professores realizam manifestação em frente a SEAD

Fotos Rui baiano Santana

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Lei para poderosos no Pará é Potoca: BRT continua, apesar de liminar suspendendo as obras


Ontem na Av. Augusto Montenegro, operários estavam trabalhando normalmente nas obras da BRT, apesar da liminar concedida pelo juiz Elder Lisboa, suspendendo as obras.



Fotos Rui Baiano Santana

terça-feira, 17 de abril de 2012

Jarbas Vasconcelos retorna à OAB e diz que déficit do interventor Busato é o dobro do seu

Via blog Parádebates

Por Marcos Moraes do blog do blog Didascália

Jarbas Vasconcelos com o deputado Edmilson e Marinor
O presidente eleito da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos e toda a sua diretoria retornam à direção da entidade depois de seis meses de afastamento. Jarbas voltou depois de reunião ontem na sede da entidade, em Brasília,  quando o colegiado decidiu que não há mais razões para manter afastados os diretores eleitos pela categoria de advogados do Pará. Foram 16 votos a favor e somente quatro contra, em uma reunião que demorou quase cinco horas de discussão, e no final o interventor da OAB-PA. Roberto Busato (OAB-PR)  e o relator do caso, o conselheiro Pedro Henrique Reynaldo Alves (OAB-PE) defenderam o  restabelecimento da normalidade administrativa e política da seccional da OAB-PA, dando fim ao período de interdição.
O imbróglio que afastou Jarbas Vasconcelos da presidência da OAB-PA, supostas irregularidades na venda de um tereno da subseção em Altamira, já foi resolvido e o presidente, de cabeça erguida, diz que retorna ao comando da entidade com tranquilidade para dialogar com seus companheiros e até com os adversários que arquitetaram seu afastamento.
O interventor  Roberto Busato fez algumas críticas à gestão de Jarbas Vasconcelos. Porém, o presidente que retorna à entidade dos advogados paraenses, mesmo sem conhecer o relatório do interventor, disse na tribuna:  "eu conheço a gestão que eu fiz. No últimos anos o único ano que não deu prejuízo foi o de 2010, pois Relatório da auditoria feito por este Conselho Federal, no princípio de 2010, início de meu mandato, dizia que nós terminaríamos o ano com um déficit de 3 milhões. Só que nós terminamos o ano com dinheiro em caixa, em torno de 172 mil reais". Sobre o déficit de 2011, em torno de 250 mil, que Busatao mostra em seu relatório, Jarbas reconhece, mas, na bucha, lembra que em apenas dois meses que esteve como interventor no ano passado, novembro e dezembro, Roberto  Busato teve um déficit de 500 mil. E contemporiza: "o déficit dele foi o dobro do meu".

Belo Monte demite 60, agride e manda prender trabalhadores

Uma liderança grevista foi demitida e agredida por um segurança privado do consórcio. Outro, que aparecera em vídeo participando da greve em gravações internas feitas pela empresa, foi demitido e posteriormente preso sem explicação pela Polícia Militar
Publicado em 17 de abril de 2012
 
Por Ruy Sposati
Presença policial durante greve dos trabalhadores de Belo Monte (foto: Ruy Sposati)
BLOG DA AMAZÔNIA – O Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras da terceira maior usina hidrelétrica do planeta, na região de Altamira (PA), demitiu ao menos 60 operários que participaram da última greve que paralisou a obra por sete dias, entre os dias 5 e 12 de abril.
Uma liderança grevista foi demitida e agredida por um segurança privado do consórcio. Outro, que aparecera em vídeo participando da greve em gravações internas feitas pela empresa, foi demitido e posteriormente preso sem explicação pela Polícia Militar – segundo os trabalhadores, chamada pelo consórcio, enquanto dormia em um dos alojamentos do CCBM.
Segundo depoimento de trabalhadores, cinco teriam sido demitidos porque assinaram ata de fundação de uma Associação de Operários, conforme diz um documento que teria sido entregue ao sindicato e à direção do consórcio. Seis trabalhadores teriam sido desligados por participarem da comissão da greve. O restante teria saído por ter aparecido em filmagens realizadas por encarregados da firma.
Francenildo Teixeira Farias, carpinteiro e membro da comissão da greve, conta que foi pedir explicações no escritório do RH da empresa, e lá foi agredido. Ele teria sido demitido por ser grevista, por ter participado da fundação da nova associação e também por participar da comissão.
- Um segurança tentou tirar meu crachá de todo jeito, querendo me obrigar a assinar a quita [demissão]. Eu disse que não, que não aceitava porque não era uma demissão justa. Aí ele veio pra cima e me deu um soco na nuca – relata Francenildo, que registrou boletim de ocorrência na delegacia da Polícia Civil de Altamira.
Segundo membros da comissão, outros nomes com demissão confirmada seriam o do pedreiro Wanderson Correa, dos apontadores Fábio de Souza, Moisés Ferreira Silva, Claudevan da Silva Santos e Diego Dias Louredo. Também foram demitidos Fábio Karan e Raimundo Nonato Diniz, que não é da comissão.
Polícia faz papel de mediadora na greve
Em documento assinado por trabalhadores e um de seus dirigentes, o Sindicato da Construção Pesada do Pará (Sintrapav) comprometeu-se a “assumir a responsabilidade pela comissão caso haja algum tipo de retaliação, perseguição, ou algum tipo de perca (sic) financeira”.
Pauta
O Consórcio Construtor Belo Monte nega que as demissões tenham relação com manifestações. Em nota à imprensa, divulgada na sexta-feira (13), a empresa noticiou que “diferentes pontos foram avaliados e acordados entre as partes”.
Os pontos indicados são a “instalação do Sintrapav nos canteiros”; “melhorias nas condições de transporte; melhorias no sistema de pagamento de salários – que no início do mês levou à uso de violência e a prisão de um trabalhador; e disponibilidade de sinal de celular a partir de maio.
Duas das principais pautas – o aumento da cesta-básica (que hoje é de R$ 95) e a redução dos intervalos de baixada (visita do trabalhador à sua cidade de origem) ficarão para a próxima rodada. As outras não foram citadas.
A negociação, prevista para iniciar no dia 10, foi adiada cinco vezes. O CCBM, em conjunto com o sindicato, restabeleceu uma comissão de trabalhadores para abrir a rodada de negociações.
- Isso é fachada porque 80% da pauta não foi sequer falada. A gente não aprovou nada, só ouvimos. O sindicato não voltou pra base com a gente pra apresentar e votar que a empresa propôs. Isso era o certo. Agora, eles falaram na imprensa, soltaram um panfleto nos sítios dizendo que tá tudo certo – acusa um trabalhador que permaneceu na comissão, mas prefere não se identificar.

Três dias na vida de Marabazinho

O operário Raimundo Nonato Diniz, conhecido há 18 dias por Marabazinho
Sexta-feira, 13. Raimundo Nonato Diniz, 29 anos, soldador, é um dos 60 demitidos pelo CCBM. Trabalhava no sítio Belo Monte, maior canteiro da obra. Foi apelidado de Marabazinho – diminutivo para Marabá, onde deixou a mulher e filhos, embora tenha nascido no Maranhão. Esperou 25 dias por uma vaga. Trabalhou 18. Demitido sem justa causa.
- O encarregado mandou eu ir pro escritório, disse que ia me dar as contas porque tinha me visto numa gravação feita durante a última greve. Quem tava na filmagem nos dias da paralisação foi mandado embora. Havia muita perseguição com os funcionários que foram vistos nas filmagens. Eles fizeram questão de filmar cada um que tava na greve, pra poder mandar embora. Junto comigo, saíram umas 60 pessoas que estavam reivindicando direito, transporte, baixada – relata Marabazinho.
“Sequestro”
Domingo, 15. Às 22h, Marabazinho dormia no quarto. Chega a Polícia Militar e a tropa de choque no alojamento conhecido como “Bacana”, no início da estrada estadual que vai de Altamira ao perímetro urbano de Vitória do Xingu.
Seguranças privados do alojamento conduzem os policiais até Raimundo, que é jogado no chão, algemado e levado, sem camisa, para a caçamba de uma das picapes policiais. Diversas testemunhas presenciaram o fato. Meia hora depois da ocorrência, um vídeo que registrava a prisão do trabalhador chega às nossas mãos.
Às 23h30, os investigadores no plantão explicam que Marabazinho havia sido preso em flagrante pela Guarda Municipal, nadando no rio Xingu, fugindo de um crime que teria cometido minutos antes: tentativa de assalto da filha de um policial civil. Mostramos a foto de Raimundo. O investigador confirma ser ele o homem, mas diz que o nome é diferente. Mostra a arma do crime – uma faquinha de pão com cabo de plástico.
Segunda-feira, 16. Por volta do meio dia, o delegado diz que Marabazinho está para ser liberado, e que o suspeito da noite anterior não era ele, e sim um José qualquer. Também explica que não foi nem será lavrado qualquer boletim de ocorrência.
Libertado, Marabazinho conta:
- Pisaram a minha cabeça, me empurraram. Deram uma gargantilha no meu pescoço, me algemaram com brutalidade. Dá pra ver as manchas no meu braço e na minha perna.
Sobre José, com quem foi confundido, Raimundo conta que também é trabalhador do consórcio. Foi acusado – e aí a versão se altera, da madrugada para a manhã – de ter tentado roubar uma moto.
O proprietário da moto, contudo, teria menos de 18 anos, e preferiu retirar a queixa. José alega que estava indo trabalhar quando começou a ser perseguido por guardas municipais e nunca na vida pilotara uma moto. Também foi liberado da delegacia. Também não foi feito boletim da ocorrência.
- Esse aí foi preso por desordem. Mas o nome dele não tá no caderno – diz um policial qualquer, referindo-se a Marabazinho – e também ao fato de que não houve boletim de ocorrência ou auto de prisão em flagrante.
E o soldador deixou a delegacia sem saber porque entrou ou saiu.
- Foi a pior noite da minha vida. Nunca tinha sido preso. Fiquei de pé até as 4 horas da manhã, sem canto pra dormir no meio de outros 19 presos, sem comer e sem beber água.
O vídeo de sua detenção ilegal e sua própria memória são suas únicas provas em seu favor. A maioria de seus colegas tem receio em testemunhar a seu favor, com medo de sofrerem retaliação. Sobre isso, Marabazinho conclui:
- Se eu tivesse fichado [contratado] ainda, e estivesse dando entrevista ou depoimento, hoje mesmo eu estaria na rua. A perseguição aqui é muito grande com pessoas que querem melhoria pra gente. Pessoa aqui não pode reclamar de nada, não. Se reclamar, eles mandam logo pra rua.

Servidores da ADEPARÁ fazem paralização hoje

Comandados pelo STAFPA (Sindicato do Setor Público Agropecuário e Fundiário do Estado do Pará), os servidores da ADEPARÁ, realizam hoje ás 10hs. manifestação em frente a sede do orgão em Belém para cobrar a implantação do PCCR (Plano de Cargos e Salários) e reajuste do vale alimentação. Em todo estado haverá paralização por um dia.
  O presidente do sindicato Harley Cunha, afirmou que em caso de não implantação do PCCR, os trabalhadores podem cruzar os braços por tempo indeterminado.

domingo, 15 de abril de 2012

Site de Notícias do Governo do Pará distorce informações sobre Audiência que discutiu os Infocentros

A representante do infocentro Colibri, Laurene Ataíde; a coordenadora dos infocentros, Monica Caetano; os deputados estaduais Edílson Moura e Alfredo Costa (PT), e o diretor da Prodepa, Fernando Nunes
Na Audiência Pública realizada na quinta-feira (12/04), na Assembleia Legislativa do Pará, solicitada pelo deputado Edílson Moura (PT), para discutir os Centros de Inclusão Digital, conhecidos como Infocentros, ficou claro que existe uma política de governo, no caso Jatene, de acabar com aqueles espaços. Há falta de manutenção e ampliação do programa e, em alguns casos, falta conexão de internet, o que pode inviabilizá-lo.
Faltando com a verdade:

Surpreendente foi a matéria veiculada no Portal Agência de Notícias do Pará sobre a Audiência. Primeiro, não cita nem uma vez Edílson Moura, que requereu a Audiência e presidiu a mesa; e segundo, informa que o tema era discutir a ampliação do Programa Navegapará. Na verdade, foi para discutir por que os Infocentros, em sua maioria, não estão funcionanado. Leia aqui a matéria do governo http://agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=97127
Vereadora Milene Lauande (PT) Coordenou os Infocentros no Gov. Ana Júlia

Pá de cal : Governo não vai mais pagar a conta de energia elétrica dos Infocentros

O Governo avisou aos coordenadores dos Infocentros que não vai mais pagar a conta de energia elétrica dos Infocentros. Segundo um dos coordenadores, com essa medida, vamos ter que fechar as portas. Como é proibido cobrar qualquer taxa para a utilização do espaço, ele questiona: "Como vamos pagar a luz". Os representantes do Governo presentes à Audiência não responderam por que os Infocentros estão na UTI. A conclusão é que em pouco tempo teremos o famoso slogan: o Pará "Jateve" Infocentros.

sábado, 14 de abril de 2012

PARA MELHORAR A CIDADE É PRECISO COMBATER À CORRUPÇÃO



            Artigo de    Antonio Carlos Martins Barros*

    Há muitas pessoas que perguntam: por que em Ananindeua há tantos problemas que atingem à vida da população, mas, pouco são denunciados.?

   As angustias das pessoas são tantas: conviver com ruas esburacadas; há pouco espaço nas calçadas para se andar; feiras com péssimo nível de higiene frente ao consumo humano; travessas inteiras sem asfalto. Outros reclamam: meu carro foi guinchado de novo! Ora, todo dia o pessoal do DEMUTRAN multa os motoristas, mas poucas campanhas educativas do trânsito existem. Como se não bastasse, os ônibus coletivos se confundem com micro ônibus de diversas empresas, parece não existirem regras de trânsito na cidade, os semáforos vivem esbandalhados. Enquanto isso acontece, a população padece! Os pontos das paradas são lotados, sem proteção ao sol e à chuva. A pergunta que não quer calar são duas: O que fazer diante desses problemas? Cadê o dinheiro público que não vimos ser aplicado em obras à população, há indícios da prática  corrupção ? 

    Os problemas sociais na área do transporte e saneamento básico que acontecem na cidade de Ananindeua vão ter respostas. Queremos saber os  motivos, lutar para que eles se esclareçam e os serviços melhorarem. Por isso, será lançado o Movimento de Combate à Corrupção na Administração Pública, organizado pelo Movimento de Luta popular – MLP.

   O MLP que é uma organização popular de luta, sedeada em Ananindeua vai buscar por meio de investigação jurídica e por formas criativas de mobilização  saber se o dinheiro público está utilizado corretamente nos investimentos em obras ao povo. Vai às escolas, às universidades e praças com ações teatrais e jogos para chamar atenção das pessoas sobre nível da qualidade dos serviços públicos prestados à população.

  1-Os serviços de transporte- Desconfiamos que as multas aplicadas e o  constante guinchamento dos veículos são gestos abusivos; se os serviços de transporte coletivo são regulamentados e se servem a toda população, principalmente nos bairros mais distantes, onde a maioria do povo mora. Quem controla e fiscaliza esses serviços? O conselho de transporte controla às ações e o dinheiro utilizado nestes serviços?

2- Os serviços de infra estrutura- Desconfiamos se as obras de asfaltamentos estão mesmo atendendo às necessidades do povo, se os serviços de saneamento básico, esgotamento sanitário, previstos no orçamento da prefeitura são de fato realizados e quanto se gasta com estes serviços? Vamos procurar saber quanto a prefeitura está gastando nas obras com o dinheiro do PAC, do governo federal? Se há desvio do dinheiro na execução das obras? Será que está funcionando o Conselho da Cidade que deveria fiscalizar o dinheiro usado nas obras de asfaltamento, limpeza das ruas?   

  O MLP convida a população a entrar nessa luta que objetiva combater a prática da corrupção na administração pública municipal e pretende esclarecer à sociedade sobre o uso devido do dinheiro nas obras e serviços necessários ao bem estar da população. NOSSA LUTA É PARA MELHORAR A CIDADE.

Lançamento do Movimento: 26 DE ABRIL EM FRENTE AO MINISTÉRIO PÚBLICO- BR

PROGRAMÇÃO:

9 H -SESSÃO SIMULADA DO JÚRI POPULAR PARA JULGAR  A PRÁTICA DA CORRUPÇÃO. 

11H- ENTREGA DO DOCUMENTO AO MPE PARA PEDIR INVESTIGAÇÃO AOS INDÍCIOS DA PRÁTICA DE CORRUPÇÃO EM ANANINDEUA. PARTICIPE!

    *É professor Mestre em Educação e Politicas Públicas Educacionais-UFPa

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sintepp de Ananindeua convoca greve e o prefeito Helder Barbalho diz que não haverá greve

O Sintepp de Ananindeua enviou nota ao blog, informando que os trabalhadores da rede municipal de ensino de Ananindeua, aprovaram indicativo de greve para 18 de abril. Entramos em contato com o Prefeito Helder Barbalho via twtiter,  e perguntamos  como ele avaliava essa possível paralização, ele respondeu:
 
Meu caro, lhe asseguro que aqueles que fazem Educação em Ananinideua reconhecem todos os avanços na área,não haverá greve.
 
Nota do Sintepp Ananindeua
 
Cansada de esperar que as negociações sejam abertas a categoria aprovou na assembléia de hoje pela manhã o indicativo de greve para o dia 18 de Abril. A assembleia será realizada na igreja Cristo Rei no bairro da Guanabra as 9h.
Na paralisação de hoje mais uma vez o prefeito de Ananindeua não estava na prefeitura para receber a categoria e responder a pauta já protocolada há muito tempo pelo SINTEPP. Dentre os pontos de pauta está o reajuste do piso salarial do professor em 30%, Vale alimentação de R$500,00, enquadramento na referencia B de todos os servidores efetivos do grupo magistério e revisão imediata do PCCR(lei 2177/09).Dentre os pontos do PCCR está a mudança da jornada de trabalho de 24h para 40h semanais conforme a lei do PISO NACIONAL, indexação proporcional do piso municipal ao piso nacional, gratificação de nível superior(hoje inexistente), cumprimento de 1/3 de hora atividade dentro da jornada de trabalho. Inclusão dos servidores de apoio no PCCR.
Cabe ressaltar que esta gestão PMDB/PT durante 3 anos só reajustou o piso do professor em 9% e orçamento do FUNDEB dobrou saltando de 42 milhões em 2009 para 84 milhões em 2012. São 100% de crescimento da receita do FUNDEB fora o crescimento de todas as outras receitas municipais devido ao crescimento da economia no município. Fazemos um chamados a todos a não recuar diante deste desrespeito da gestão em querer ignorar as nossas reivindicações. Vamos construir a GREVE para negociar em outro patamar de luta. Pois existe um prazo de que até junho queremos consolidar todas as mudanças no PCCR, que esperamos sejam aprovadas na câmara municipal.

AGORA É GREVE

SINTEPP/ANANINDEUA - COMUNICAÇÃO

sábado, 7 de abril de 2012

Deu no Blog do Deputado Edmilson Rodrigues(PSOL): Demissão causa protesto no Banpará Cidade Nova



Bancários da agência do Banco do Estado do Pará (Banpará) da Cidade Nova, em Ananindeua, fizeram uma paralisação, na manhã de ontem, em protesto contra a demissão, considerada injustificada e ilegal, de um funcionário concursado da agência.

A explicação dada ao Sindicato dos Bancários do Estado do Pará (Seeb-PA) e à Associação
dos Funcionários do Banco do Estado do Pará (Afbepa) pela diretoria da instituição foi que tratava-se de um “ato de gestão do banco que avaliou como necessária a saída do funcionário”. Quem já estava de folga desde ontem e decidiu ir à agência deu de cara com a porta giratória e com o aviso sobre a paralisação por “uma demissão ilegal”. Diariamente, o estabelecimento atende de 300 a 400 pessoas com oito funcionários. Lá sobraram denúncias de assédio moral, horas extras não remuneradas, descomissionamento (quando servidor é retirado de sua função) e falta de pessoal em toda a rede do banco estadual.


Fonte: O Liberal (06/04/2012)

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Consórcio Construtor, Força Sindical e Agência Brasil unidos contra grevistas em Belo Monte


Por Atnágoras Lopes


Nesta terça-feira, 03 de abril, foram retomados parcialmente os trabalhos nos canteiros de obra da hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, Pará.  Apesar do anúncio do fim do movimento paredista que agita a principal obra do Programa de Aceleração do Crescimento, a maior parte dos trabalhadores não teria voltado ao trabalho até esta quarta-feira, 04 de abril.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Estado do Pará (Sintrapav) é a única organização reconhecida pelo Consórcio Construtor de Belo Monte (CCBM). Esta prerrogativa não é uma decisão da categoria formada por milhares de operários que sequer participaram da eleição da atual diretoria. 

O movimento espontâneo é algo semelhante ao que ocorreu nas greves nas hidrelétricas no rio Madeira em 2011 e agora novamente em 2012: a base atropelando suas direções sindicais para tentar alcançar os seus interesses trabalhistas.

A rebelião de base em Belo Monte tem seus motivos. Além de pouca representatividade sindical, a direção do Sintrapav foi acusada pelos operários de denominá-los de “baderneiros” ao invés de atender as suas reivindicações. Apesar de terem descontados o imposto sindical diretamente em seus contracheques, a grande maioria dos operários de Belo Monte sequer conhece a diretoria do sindicato.

A repressão desencadeada pela Polícia Militar no dia 02 de abril trouxe junto episódios de como o Sintrapav e a CCBM atuaram para acabar com a greve. Ainda na parte de manhã, um panfleto de responsabilidade do consórcio dizia que a “paralisação não é a solução” e acusava “pessoas que desejam promover e impedir que você exerça o seu direito de voltar ao trabalho!”. Veja a íntegra do panfleto AQUI!

Na parte da tarde, foi a vez do sindicato da Força Sindical soltar o seu panfleto em que se afirma que por decisão judicial ele é “o LEGÍTIMO e ÚNICO REPRESENTANTE dos trabalhadores da categoria e nenhuma FEDERAÇÃO, CENTRAL SINDICAL ou outra ENTIDADE SINDICAL tem competência para fazer REIVINDICAÇÕES e melhorias para a nossa categoria que é específica da Construção Pesada. Qualquer reivindicação tem que ser através do SINTRAPAV”.

O festival de pérolas sindicais continua com a determinação do retorno ao trabalho, com o aviso da ilegalidade da greve e coaduna com a versão de “agentes externos” por trás da greve: “...várias pessoas impediram o deslocamento dos ônibus na BR, tentando até mesmo violência contras os trabalhadores que queriam ir trabalhar, a empresa CCBM e a Justiça tem que garantir o direito ao trabalhador que quer ir trabalhar sem ser constrangido e sem sofrer violência”.

Mas, além de atuar muito mais pelos interesses do CCBM, o sindicato foi um verdadeiro braço ideológico contra os trabalhadores em greve e contou para isto inclusive com a ajuda da Agência Brasil, que sem nenhum enviado à Altamira, resolveu publicar uma matéria com a versão da greve do sindicato e da Federação dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada (Fenatracop), ambos ligados à Força Sindical.

Veja abaixo, a íntegra da notícia:

A matéria chega ao cúmulo de afirmar que já na sexta-feira, 30 de março, a greve já havia sido encerrada, e que os episódios que se sucederam “foram promovidos por movimentos sociais organizados contrários a obras e não por representantes dos funcionários” que teriam erguido “barricadas” para evitar o retorno dos operários ao trabalho.

Enquanto a CCBM,  Sintrapav e  Fenatracop se colocavam do mesmo lado do conflito, contra os trabalhadores em greve e os movimentos sociais contrários a Belo Monte, estes sequer foram ouvidos pela Agência que narrava uma versão da greve que em anda condizia com a realidade.

A matéria da Agência Brasil certamente serviu para propagar a notícia de que a paralisação da obra já tinha encerrado e que era provocada por "agentes externos". O mais curioso é que no dia 02 de abril, quando a matéria ia ar, ocorria a prisão de um operário em greve, o uso de spray de pimenta contra a multidão de trabalhadores próximos a uma danceteria, a formação de uma comissão de base, a antecipação do pagamento dos operários, voos rasantes de um helicóptero com policiais armados de fuzis sobre os grevistas, a presença intensa de policiais com carros do CCBM. Todos estes acontecimentos foram narrados pelo jornalista Ruy Sposati, direto de Altamira, mas que passaram longe dos fatos narrados pela Agência Brasil.  A matéria "oficial" também nem cita a pauta da greve, a morte de um trabalhador e as condições de trabalho dos operários, os estopins do movimento.

A notícia aparentar ter ainda a clara função de fortalecer o pedido de interdito proibitório feito pelo CCBM contra o Movimento Xingu Vivo e até contra o próprio jornalista Ruy Sposati, que foram proibidos judicialmente de se aproximarem dos trabalhadores em greve, numa clara ação de cerceamento da liberdade de expressão e de trabalho da imprensa, no que pese que, do Movimento Xingu Vivo em Altamira, apenas o jornalista citado esteve acompanhado o conflito e assim mesmo, apenas como jornalista, o que dirá levantando “barricadas” numa rodovia.

As matérias de Sposati apresentaram um cenário do que realmente se passava em Altamira e isto foi o que realmente incomodou o CCBM e o Sindicato aliado. Tanto que horas antes da decisão judicial, o próprio Sposati havia sido expulso do local de concentração de operários por policiais militares, sob ordens do Consórcio, conforme ele mesmo narrou em seu twitter. Aliás, policias militares atuam na região com carros pagos pela empresa responsável pela construção da hidrelétrica, conforme fotografia abaixo, também de Ruy Sposati.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Alfredo Costa renunciou o mandato de Vereador, em seu lugar assume Milene Lauande




Vereador Alfredo Costa (PT),  renunciou hoje seu mandato na Câmara de  Vereadores de  Belém, para assumir uma cadeira na ALEPA. Na vaga deixada pelo petista,  assume a professora Milene Lauande (PT). 







Veja quem é a nova Vereadora de Belém:


Milene Risuenho Lauande, 39 anos, é paraense de Belém, casada, graduada em Geografia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). É especialista em planejamento do desenvolvimento de áreas amazônicas (FIPAM/NAEA/UFPA) e mestra em planejamento do desenvolvimento (PLADES/NAEA/UFPA).
É professora concursada da rede estadual de ensino. Leciona nas Escolas D. Pedro I e Francisco da Silva Nunes (Integrado).
Milene é filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT) desde 2007. Exercerá seu primeiro mandato eletivo. Obteve 4.711 nas eleições de 2008, tendo sido naquela eleição a mulher mais votada do PT.
Milene sempre se destacou na luta política. Já aos 14 anos de idade tornou-se Presidenta do Grêmio Estudantil da Escola Hilda Vieira, onde desenvolveu um trabalho voltado para a mobilização dos estudantes visando a melhoria da qualidade da educação, o que carimbou seu passaporte para se tornar um dos membros da direção da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES). Em sua nova função na vida pública, Milene encabeçou a luta pela meia-passagem estudantil, e o resultado desta luta coletiva até hoje beneficia milhares de estudantes da Região Metropolitana de Belém.
Sempre ligada às lutas populares, Milene virou uma liderança da juventude do Partido Comunista Brasileiro (PCB), também estando à frente do movimento “Fora Collor”. Já no Partido Popular Socialista (PPS), sucessor do PCB, Milene também teve destacada atuação: foi dirigente nacional, coordenou a Campanha de Ciro Gomes a Presidência da República em 1998. Em 2002 disputou sua primeira eleição, obtendo 4.369 votos pra deputada federal. E foi eleita Presidenta do Diretório Municipal de Belém do Partido, de onde saiu por divergências políticas sobre o campo de alianças nas eleições pra prefeitura em 2004, onde apoiou decididamente a candidatura de Ana Júlia Carepa (PT) contra Duciomar Costa no segundo turno, além de questionar a subalternidade do partido em relação ao PSDB.
Acumulou experiências na gestão pública durante o governo Ana Júlia, como Coordenadora dos INFOCENTROS do Programa NAVEGAPARÁ, o maior programa de inclusão digital do Brasil, e também na direção do pioneiro Planejamento Territorial Participativo - PTP.
Seu mandato dará especial atenção às políticas públicas voltadas às mulheres, à educação, saúde e para a construção de uma cidade mais humana e democrática, menos desigual e mais justa.
O mandato petista da Professora Milene Lauande cerrará fileiras na oposição aos governos municipal e estadual, por considerá-los descompromissados com os reais interesses da maioria da população de Belém e do estado.